Número de mortos em atentados no Iraque já ultrapassa 150

Autoridades iraquianas disseram nesta segunda-feira que o número de mortos em um atentado em Bagdá no domingo já chega a 155. Outras 500 pessoas ficaram feridas.

BBC Brasil |

Os ataques coordenados, próximo a ministérios do governo e à sede do governo da província, foram os mais violentos desde abril de 2007. Homens-bomba detonaram dois veículos - um caminhão e um carro.

O presidente americano, Barack Obama, disse que os ataques foram "odiosos e destrutivos".

"Eu condeno com veemência estes ataques escandalosos contra o povo iraquiano e mando meus pêsames mais profundos àqueles que perderam entes queridos", disse Obama, em um comunicado.

"Estas bombas não servem a outro propósito que matar homens inocentes, mulheres e crianças, e eles revelam a agenda odiosa e destrutiva daqueles que querem negar ao povo iraquiano o futuro que eles merecem."
Repercussão
Soldados americanos foram chamados para ajudar nas investigações. O premiê iraquiano, Nouri Maliki, prometeu punir na Justiça os culpados.

O ministério iraquiano das Relações Exteriores disse que os atos terroristas pretendem "minar a estabilidade e o processo de reforço das estruturas democráticas".

As explosões aconteceram quase ao mesmo tempo, às 10h30 da manhã de domingo, na hora local, quando as pessoas se dirigiam ao trabalho, e atingiram o Ministério da Justiça e outro prédio do governo perto da Zona Verde, a região fortemente protegida no centro da capital iraquiana, causando muita destruição.

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri Al-Maliki, visitou o local do ataque e emitiu um comunicado acusando a Al-Qaeda e simpatizantes do ex-presidente Saddam Hussein pelos atentados.

"Esses ataques terroristas covardes não podem afetar a determinação do povo iraquiano de continuar com sua luta contra os remanescentes do regime desmantelado e os terroristas da Al-Qaeda, que cometeram crimes brutais contra civis", disse.

"Eles querem provocar caos no país, impedir o processo político e evitar as eleições parlamentares", afirmou o premiê.

O presidente Jalal Talabani, por sua vez, disse que os autores dos ataques "não escondem mais seu objetivo". "Eles declaram publicamente que estão atacando o Estado", disse.

Entre os mortos, acredita-se que estariam vários funcionários do conselho provincial de Bagdá, responsável pela administração da cidade, cujo escritório foi atingido pelas explosões.

A violência em geral caiu dramaticamente no Iraque no último ano, mas ataques esporádicos continuam em várias partes do país.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG