Número de mortos em atentado em Cabul chega a 40

(atualiza número de mortos e detalhes) Cabul, 7 jul (EFE).- Pelo menos 40 pessoas morreram, dentre as quais o adido militar da Embaixada indiana em Cabul, em um atentado suicida registrado hoje diante do edifício, em pleno centro da cidade, informou uma fonte oficial.

EFE |

Um porta-voz do Ministério do Interior afegão consultado pela Efe confirmou o aumento do número de vítimas do ataque para 40, dentre as quais seis policiais afegãos.

Em Nova Délhi, o ministro de Assuntos Exteriores indiano, Pranab Mukherjee, confirmou em entrevista coletiva transmitida ao vivo pelo canal de televisão "NDTV" que o atentado causou a morte de cinco membros da legação diplomática da Índia.

Os falecidos são o adido militar R.D Mehta e o conselheiro de assuntos políticos Venkat Rao, assim como de dois membros da equipe indiana de segurança e um funcionário afegão da embaixada, situada em pleno centro de Cabul.

Mukherjee condenou o "covarde" ataque à legação de seu país e anunciou o imediato envio de uma equipe a Cabul para assumir o controle da situação.

Segundo o Ministério do Interior afegão, a maioria das vítimas são civis afegãos que faziam fila na porta da embaixada para pedir um visto.

O atentado aconteceu às 8h30 da manhã (1h de Brasília), quando o suicida detonou um carro perante a porta principal da embaixada indiana no Afeganistão, disse o porta-voz de Defesa afegão, o general Zahir Azimi.

Uma testemunha citada pela agência afegã "PAN" assegurou que o suicida jogou seu veículo contra a porta principal do prédio da embaixada.

Um porta-voz do Ministério da Saúde afegão, Abdula Fahim, disse que 90 dos feridos foram internados, enquanto outros 51 receberam alta após serem atendidos.

O embaixador indiano em Cabul, Jayant Parsat, escapou ileso do atentado, que destruiu parte da embaixada e cerca de 12 veículos estacionados nas proximidades, além de ter danificado outros imóveis próximos.

A embaixada indiana fica em pleno centro de Cabul, em uma área movimentada. Muitas pessoas iam para o trabalho no momento em que aconteceu a explosão.

O Ministério do Interior afegão culpou "serviços regionais de inteligência" pelo atentado, em uma aparente alusão ao Paquistão.

Cabul sempre foi alvo de vários ataques e atentados suicidas perpetrados pelos insurgentes talibãs, como o ocorrido no mês passado de março na estrada que leva ao aeroporto da cidade, que causou seis mortos.

Morreram neste ano no Afeganistão mais de 1.800 pessoas vítimas da violência. EFE nh-daa/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG