Número de mortos em ataque de sexta no Paquistão passa de 100

Ataque reivindicado pelo Taleban deixa 102 mortos, 120 feridos e 10 desaparecidos no noroeste do Paquistão

AFP |

AP
Paquistaneses removem escombros após ataque
Pelo menos 102 pessoas morreram no atentado suicida cometido, na sexta-feira, no centro de um mercado no noroeste do Paquistão, cenário de uma onda de atentados da milícia islâmica do Taleban aliada à rede terrorista Al-Qaeda, segundo um novo balanço divulgado por autoridades locais

Cerca de 120 ficaram feridos e 10 estão desaparecidos, disse Miraj Khan, autoridade da administração governamental da Agência Mohmand do Paquistão. Segundo um porta-voz da milícia islâmica do Taleban, a ação foi orquestrada por membros do grupo, com o objetivo de atacar pessoas que tentavam criar milícias anti-Taleban.

"O balanço aumentou para 102 mortos" depois que tiraram cadáveres entre os escombros e da morte de alguns feridos durante a noite no hospital, declarou Rassol Khan, uma autoridade local. O número foi confirmado por outra autoridade. Na noite de sexta-feira, havia 65 mortos confirmados no atentado .

Esse foi o atentado mais mortífero no Paquistão desde maio em Lahore, no leste do país, lançado por por terroristas suicidas carregados de explosivos na sala de orações de uma seita minoritária do Islã , os ahmadis.

O atentado de sexta foi praticado em Yakaghund, aldeia do distrito tribal de Mohmand, perto da fronteira afegã e um dos redutos do Movimento dos Taleban do Paquistão (TTP) e dos combatentes estrangeiros da Al-Qaeda.

O TTP, que jurou obediência à Al-Qaeda quando foi criado em 2007, é juntamente com outros grupos afins, o principal responsável por uma onda de 400 atentados que, nos últimos anos, matou mais de 3.450 pessoas em todo o país.

    Leia tudo sobre: Paquistãoterrorismoataques

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG