Número de mortes por gripe no Chile sobe para 68

Santiago do Chile, 21 jul (EFE).- O Governo do Chile, que injetou 3.

EFE |

500 milhões de pesos (US$ 6,54 milhões) para combater o vírus da gripe suína, informou hoje que o número de mortos pela doença se duplicou em uma semana e passou de 33, para 68 no país.

O relatório divulgado pelo Ministério da Saúde afirmou também que o número de contagiados subiu para 11.293, dos quais 709 permanecem em estado grave.

Além disso, a análise apontou que, dos casos confirmados por exames de laboratório, 6,3% necessitará hospitalização.

Apesar de o registro no número de contagiados ainda mostrar uma curva ascendente nas regiões de Arica-Parinacota, no extremo norte do Chile, e na cidade de Valparaíso, no resto do país, os índices de contágio começaram a cair.

Durante esta semana, foi registrado um aumento no número de contágios em crianças menores de 5 anos e, segundo o relatório do Ministério, 61% dos casos se concentra na população de entre 0 e 19 anos.

Para fazer frente ao aumento da demanda de atendimento médico por doenças respiratórias, o Ministério da Saúde abriu extraordinariamente por quarto fim de semana seguidos todos os consultórios e Serviços de Atendimento Primário de Urgência (SAPU) do país.

Em seu relatório, o Ministério explicou que o número total de leitos público disponíveis para serem utilizado em casos de infecções respiratórias é de 6.500, dos quais 2.572 foram convertidos para esta contingência.

A autoridade sanitária também lembrou que a presidente Michelle Bachelet assinou há poucos dias um novo decreto que dá ao Ministério da Saúde o poder de controlar a prescrição de antivirais e obriga a manter um registro diário de pacientes diagnosticados para evitar a emissão indiscriminada de receitas.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE ls/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG