Número de mortes em Mianmar pode chegar a 50 mil, diz ONG

YANGUN - A organização Save the Children advertiu nesta terça-feira que podem chegar a 50 mil as pessoas mortas e a dois milhões de desabrigados em conseqüência da passagem do ciclone em Mianmar. De acordo com balanço divulgado pela TV estatal birmanesa, 22.464 pessoas morreram e 41 mil estão desaparecidas.

Redação com agências internacionais |

Clique na imagem e veja o infográfico sobre a formação dos ciclones

O ciclone "Nargis", que atingiu o sul de Mianmar (antiga Birmânia) no fim de semana passado, deixou cerca de um milhão de pessoas desabrigadas, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

"Segundo informações obtidas até o meio-dia morreram 21.793 pessoas e 40.695 são consideradas desaparecidas na região de Irrawaddy, enquanto 671 morreram, 670 ficaram feridas e 359 estão desaparecidas na região de Yangun", afirmou a televisão estatal.

Este anúncio representa um aumento considerável em relação ao balanço anterior de 15 mil mortos. Três outras regiões de Mianmar também foram afetadas pelo ciclone, mas a imprensa estatal não divulgou balanços sobre estas áreas.

No sábado passado, as autoridades declararam estado de emergência nas regiões de Yangun, Pegu e Irrawaddy e nos Estados Karen e Mon.

Reuters
Imagem tirada pela Real Força Aérea da Tailândia mostra a destruição na cidade de Yangun, nesta terça-feira
Imagem desta terça-feira mostra a destruição na cidade de Yangun
No entanto, 800 toneladas de arroz continuam paradas nos armazéns do Programa de Alimentos das Nações Unidas à espera do sinal verde das autoridades para que sejam distribuídas.

Também está prevista para esta terça-feira a chegada da primeira carga de alimentos, medicamentos e outros materiais de emergência vindos da vizinha Tailândia, um dos principais parceiros do regime militar.

A população nas regiões afetadas vive há três dias sem o fornecimento de água e eletricidade, e os preços dos artigos básicos dispararam devido à escassez e à especulação. 
Reuters
erqwrwrqw
Fotos de satélite da Nasa mostram a aproximação do ciclone "Nargis"

"Campo de batalha"

Segundo testemunhas, Yangun, a antiga capital e a maior cidade do país com cerca de cinco milhões de habitantes, parece ter sido um campo de batalha.

AFP
Milhares de árvores foram derrubadas pelos fortes ventos, que atingiram uma velocidade superior a 190 km/h, e atrapalham a passagem nas ruas.

As comunicações, em particular com o exterior, funcionam precariamente e a rede de internet permanece cortada desde sexta-feira passada.
Segundo um funcionário local, o aeroporto de Yangun reabriu na segunda-feira com um gerador "que só estará em funcionamento por cinco ou seis horas".

A Cruz Vermelha começou a distribuir ajudas básicas entre os milhares de desabrigados, como plásticos para cobrir os telhados arrancados pelo ciclone, ou pastilhas para tornar a água potável, além de cobertores e roupa.

Mianmá está localizada no sudeste asiático
(*Com informações da BBC, Reuters, Ansa e AFP)
Leia também:
  • Plebiscito é adiado nas áreas atingidas
  • Governo birmanês declara estado de emergência
  • Autoridades de Mianmá advertem para risco de epidemia 
  • ONU, UE e Estados Unidos oferecem ajuda aos birmaneses

  • Leia mais sobre: ciclones - Mianmá

      Leia tudo sobre: ciclonesinfográficomianmá

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG