Número de famintos no mundo chega a quase 1 bilhão, segundo a FAO

Roma, 9 dez (EFE).- O número de vítimas da fome alcança já os 963 milhões, o que significa um aumento de 40 milhões a mais do que em 2007, afirmou hoje a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO).

EFE |

O organismo das Nações Unidas apresentou hoje seu relatório da insegurança alimentícia no mundo com dados de 2007, no qual fala em 923 milhões de desnutridos, mas o estudo ficou antigo após a FAO anunciar que, em 2008, prevê este aumento que no número das vítimas da fome.

Além disso, as previsões seguem sendo pessimistas, pois a FAO advertiu ainda que "a atual crise econômica e financeira pode levar mais gente para a fome e a pobreza".

"Os preços dos alimentos caíram em nível mundial desde o início de 2008, mas esta queda não solucionou a crise alimentícia em muitos países pobres", disse o diretor-geral adjunto da FAO, Hafez Ghanem, ao apresentar o estudo.

A grande maioria das pessoas desnutridas no mundo -907 milhões- vive em países em desenvolvimento, segundo os dados do relatório, e 65% da maioria absoluta se concentram em sete países: Índia, China, a República Democrática do Congo, Bangladesh, Indonésia, Paquistão e Etiópia.

Quase dois terços (583 milhões em 2007) dos famintos do mundo vivem na Ásia, o continente mais povoado, enquanto na África Subsaariana uma de cada três pessoas (236 milhões em 2007) sofre de desnutrição crônica, segundo dados da FAO.

Também na América Latina e no Caribe, que em 2007 conseguiram reduzir a fome antes da alta dos preços dos alimentos, as novas altas aumentaram o número de pessoas famintas na região, que ficou em 51 milhões o ano passado, ainda de acordo com a organização.

EFE ccg/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG