Número de deslocados no Paquistão chega a quase um milhão em duas semanas

Quase um milhão de civis foram obrigados a deixar suas casas nas duas últimas semanas no Paquistão para fugir dos combates, alertaram nesta sexta-feira as Nações Unidas, que pretendem mobilizar centenas de milhões de dólares para ajudar estas pessoas.

AFP |

Na data de 15 de maio, mais de 987.000 pessoas foram registradas como deslocadas, ressaltou um porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (HCR), William Spindler.

O número de pessoas que fogem dos combates não está diminuindo, muito pelo contrário, destacou Spindler, avaliando em 1,5 milhão o total.

"Milhares de pessoas chegam a cada hora aos nossos centros para se registrarem como deslocados internos", afirmou Spindler.

"Populações inteiras do vale do Swat tiveram que deixar suas casas", comentou Martin Mogwanja, do Escritório da ONU para a Coordenação da Ajuda Humanitária (Ocha) no Paquistão, durante uma teleconferência. Mais da metade são crianças, destacou.

As agências humanitárias da ONU observaram que a maioria destes refugiados está em boas condições de saúde. Mais de 80% fugiram há pouco tempo e conseguiram se alojar na casa de parentes.

No entanto, a ONU avisou que a maioria destes parentes são pobres, e que o peso suplementar que representam os refugiados pode se tornar insustentável nas próximas semanas.

Segundo o Alto Comissário da ONU para os Refugiados, Antonio Gutierres, atualmente em visita ao Paquistão, "a crise pode desestabilizar significativamente as populações afetadas" se uma ajuda importante não for arrecadada imediatamente.

Assim sendo, o HCR pediu à comunidade internacional centenas de milhões de dólares a título de ajuda para estes civis.

pac/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG