Número de desaparecidos em naufrágio no Pacífico Sul sobe para 60

Sydney (Austrália), 7 ago (EFE).- A Polícia de Tonga, no Pacífico Sul, elevou hoje para mais de 60 o número de desaparecidos no naufrágio de um ferry ocorrido na quarta-feira, enquanto o primeiro-ministro do país, Feleti Sevele, pediu ajuda à Austrália e à Nova Zelândia para localizá-los.

EFE |

As informações iniciais apontavam que a embarcação levava 79 passageiros, mas a Polícia crê agora que pelo menos 117 pessoas viajavam a bordo do "Princess Ashika", explicou o comandante Chris Kelly à rádio "New Zealand".

O primeiro-ministro Sevele anunciou que o ferry foi localizado a cerca de 30 metros de profundeza, o que exige o uso de mergulhadores para resgatar os corpos que possam ter ficado presos no barco.

O barco, que levava 79 pessoas, afundou quando se encontrava cerca de 86 quilômetros a nordeste de Nuku'alofa, a capital do país.

Os tripulantes do ferry, que viajava de Nuku'alofa até a ilha de Ha'afeva, emitiram um pedido de socorro antes do afundamento, que foi recebido pelo departamento Marítimo da Nova Zelândia.

Três navios de resgate localizaram sete botes de salvamento e puderam retirar das águas 53 pessoas.

As causas do naufrágio ainda são desconhecidas. A embarcação acidentada foi construída no Japão em 1970 e foi recentemente adquirida por Tonga para cobrir a rota entre Nuku'alofa e Ha'afeva de forma temporária. EFE mg/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG