rebatizada de gripe A H1N1) subiu para 1.658, em um total de 23 países, segundo informou Gregory Hartl, porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), nesta quarta-feira." / gripe suína sobe para 1.658 em 23 países, diz porta-voz da OMS - Mundo - iG" / rebatizada de gripe A H1N1) subiu para 1.658, em um total de 23 países, segundo informou Gregory Hartl, porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), nesta quarta-feira." /

Número de casos de gripe suína sobe para 1.658 em 23 países, diz porta-voz da OMS

GENEBRA -O número de casos confirmados de gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.html target=_toprebatizada de gripe A H1N1) subiu para 1.658, em um total de 23 países, segundo informou Gregory Hartl, porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), nesta quarta-feira.

Redação com agências internacionais |

AP
Chineses que estavam no México chegam a hotel de Xangai onde vão ficar em quarentena

Chineses que estavam no México chegam a hotel de
Xangai onde vão ficar isolados

Hartl deu as informações a jornalistas, mas o último boletim da OMS, divulgado na manhã desta quarta-feira, registra 1.516 casos, em 22 países.

O número de pessoas mortas pela doença continua em 30, sendo 29 no México e um nos Estados Unidos, disse o porta-voz. Ele não detalhou a situação de cada país.

Caso nos EUA

O último boletim da OMS, divulgado na manhã de quarta-feira, ainda não confirma uma segunda morte nos Estados Unidos, anunciada na terça-feira pelo Departamento de Saúde do Texas.

Segundo autoridades de saúde do Estado, a vítima era uma moradora do condado de Cameron, na fronteira entre EUA e México, e apresentava outros problemas crônicos de saúde.

A outra morte registrada nos Estados Unidos, na semana passada, foi um bebê de 24 meses, natural da Cidade do México, que morreu em um hospital da cidade de Houston, no Texas.

Também na terça-feira, a secretária de Saúde americana, Kathleen Sebelius, disse que os cientistas estão mais confiantes de que o surto do vírus H1N1 talvez não seja tão grave como se temia inicialmente.

Além disso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos afirmou que até mesmo no México, onde o vírus foi detectado inicialmente, os sinais são de que o surto não parece mais tão intenso.

(Com informações da AP, EFE, AFP e BBC)

Leia também


"Gripe suína" no Brasil


Entenda a "gripe suína"

Leia mais sobre gripe suína

    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG