Número 2 da Al Qaeda repudia Obama; EUA seguem inimigos

DUBAI (Reuters) - O número dois da Al Qaeda repudiou a expressão de preocupação do presidente dos Estados Unidos Barack Obama com as mortes em Gaza, classificando-a como um gesto vazio nesta terça-feira e disse que Washington continua a ser o principal inimigo dos muçulmanos. Eu lembro nossos irmãos mujahideen que nosso inimigo em Gaza não é somente Israel mas a cruzada sionista, com a América, o líder dos pecadores...em sua cabeça, Ayman al-Zawahri disse em uma gravação de áudio publicada em sites islâmicos na internet.

Reuters |

"Obama se disse preocupado com a morte de civis em Gaza. Nós agradecemos o sr. Obama por sua preocupação, recebida por nós com milhares de mísseis... com fósforo branco", disse Zawahri, referindo-se aos ataques israelenses à Faixa de Gaza.

"Mas a preocupação de Obama pareceu não durar muito pois ele não disse uma só palavra sobre Gaza em seu discurso de posse, como se nada tivesse acontecido", adicionou.

"A campanha da cruzada sionista (Israel e seus parceiros ocidentais) contra o Islã e os muçulmanos não pode ser derrotada sem guerra ", disse Zawahri, convocando os religiosos a se juntarem à jihad (guerra santa).

O então presidente eleito Barack Obama quebrou o silêncio sobre a guerra em Gaza no dia 6 de janeiro, expressando profunda preocupação com a morte de civis em Gaza e em Israel. Ele se comprometeu a negociar a paz no Oriente Médio quando assumiu a presidência.

Israel promoveu uma ofensiva de 22 dias contra o grupo islâmico Hamas em Gaza em janeiro, matando cerca de 1.300 palestinos e ferindo outros 5.000.

A ofensiva, que segundo Israel tinha o objetivo de cessar os ataques de foguetes do Hamas, deixou 13 israelenses mortos, incluindo três civis mortos pelos foguetes.

Obama disse, mês passado, que os ataques verbais da al Qaeda e de Zawahri contra ele mostram que eles estão "nervosos".

"Eu acho que quando você observa a retórica que eles têm usado contra mim antes de eu assumir a presidência... o que me diz é que as idéias deles estão falidas", Obama disse à rede de televisão Al Arabiya, de acordo com uma transcrição da entrevista.

Obama nomeou o ex-senador norte-americano George Mitchell como seu enviado para o conflito no Oriente Médio e prometeu agir agressivamente para se chegar à paz.

(Reportagem de Firouz Sedarat)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG