(embargada até as 19h30 deste domingo em Brasília) Washington, 24 ago (EFE) - As taxas de tuberculose resistente aos medicamentos aumentam rapidamente no mundo, mas os pesquisadores conseguiram melhorar o tratamento com terapias agressivas, informou hoje o Hospital Brigham e de Mulheres de Boston, nos Estados Unidos.

Uma equipe de cientistas liderada por Salmaan Keshavjee concluiu um projeto em uma prisão siberiana em Tomsk (Rússia), que demonstrou a possibilidade de tratar, com sucesso, quase a metade dos pacientes de um tipo de tuberculose que tem ampla resistência aos remédios.

O trabalho também indica que um tratamento melhor dos afetados por outras formas de tuberculose resistentes a múltiplos remédios ajudaria a impedir que a infecção piore e se transforme no tipo com resistência ampla aos medicamentos.

"Apesar de os estudos indicarem que a tuberculose com resistência ampla aos remédios é intratável, nosso estudo indica que o tratamento é difícil, mas é possível aplicar a estes pacientes regimes agressivos de tratamento", disse Keshavjee.

"Uma taxa de cura de 48,3% é promissora em uma doença que era considerada intratável", acrescentou.

Para a pesquisa, foi levado em conta o tratamento de 608 pacientes com tuberculose resistente a medicamentos múltiplos, que foram atendidos entre setembro de 2000 e novembro de 2004, para determinar a freqüência dos resultados favoráveis e documentar as características clínicas.

Os pacientes foram classificados em dois grupos: os que tinham tuberculose com resistência ampla aos remédios e os que sofriam da doença sem essa resistência.

Dos 608 pacientes, 29 (4%) foram diagnosticados com a forma de tuberculose com resistência ampla aos remédios.

Segundo o estudo, 48,3% dos pacientes com tuberculose de resistência ampla e 66,7% dos doentes sem essa resistência foram curados através do tratamento.

Os pesquisadores destacaram que o tratamento inadequado da tuberculose que ainda não adquiriu uma resistência ampla aos medicamentos aumenta as probabilidades de que os pacientes desenvolvam a forma da doença menos resistente.

O tratamento inadequado pode acontecer por uma combinação incorreta de remédios ou uma duração inadequada do tratamento.

"A administração agressiva dos casos de tuberculose de resistência ampla inclui assegurar que os pacientes tenham o diagnóstico correto o quanto antes, e que recebam o tratamento apropriado no período correto", indicou Keshavjee.

"Com isto, seria possível diminuir o ritmo de aumento das mortes por tuberculose com resistência múltipla no mundo todo, e diminuir ainda mais a transmissão das variantes de tuberculose mais resistentes aos remédios", destacou. EFE jab/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.