Novos sensores já estavam disponíveis em 2006, diz Airbus

A Airbus informou nesta quinta-feira, em entrevista à BBC Brasil, que os novos sensores de velocidade dos aviões da empresa já estavam disponíveis desde 2006 e que uma recomendação para a troca desse equipamento nos aviões A320, que poderia se aplicar também aos modelos que fazem voos de longa distância que utilizam os mesmos captores, como o A330 e A340, também havia sido feita em 2006. A Air France, em um comunicado divulgado no sábado passado, informou que a recomendação da Airbus havia sido feita em setembro de 2007.

BBC Brasil |

As recomendações do fabricante não são obrigatórias. Elas representam modificações para melhorar a performance, o conforto ou a manutenção da aeronave e podem ou não ser cumpridas pelas companhias aéreas.

A Air France iniciou a troca dos sensores de velocidade dos A330, o mesmo modelo do voo 447 que decolou do Rio de Janeiro, e também do A340 em 27 de abril passado. E anunciou que vai acelerar a substituição "devido às duvidas surgidas na imprensa" em relação aos chamados tubos Pitot, que permitem medir a velocidade da aeronave.

Problemas nos sensores de velocidade vem sendo apontados como uma das possíveis causas do acidente com o voo 447 da Air France.

"O novo modelo de sensor de velocidade que está sendo utilizado atualmente para substituir os antigos é o mesmo que já estava disponível em 2006", afirmou a imprensa de assessoria da Airbus.

Incidentes
A assessoria da Air France informou que não faria declarações a respeito e reiterou, como anunciado no comunicado, ter cumprido a recomendação para trocar os sensores do A320, "onde incidentes de entrada de água (nos sensores) a baixa altitude foram observados".

A recomendação também se aplicava aos aviões de longo curso que utilizam os mesmos sensores, "nos quais foi observado um número irrelevante de incidentes do mesmo tipo", diz o comunicado.

A Air France afirma ter constatado problemas de perdas de velocidade nos aviões A330 e A340, decorrentes de fluxo de gelo nos sensores, somente a partir de maio de 2008.

Segundo a Air France, naquela época o fabricante indicou que o modelo recomendado para o A320 não havia sido concebido para prevenir incidentes em alta altitude.

Sem citar números, a Airbus informou à BBC Brasil que "um certo número de companhias aéreas já havia trocado os sensores de velocidade de seus aviões antes do acidente com o voo 447" e que outras companhias estão com programas de troca em andamento.

Troca
O diretor-geral da Air France-KLM, Pierre-Henri Gourgeon, confirmou nesta quinta-feira que a empresa irá acelerar o programa de troca de sensores de seus aviões e disse "não estar convencido" de que essa tenha sido a causa do acidente com o voo 447 da companhia.

"O programa de troca dos sensores foi acelerado porque sabemos que nesse acidente houve um problema para medir a velocidade do avião. As investigações oficiais é que vão determinar as causas do acidente", disse Gourgeon.

"É possível que os incidentes de formação de gelo sejam reduzidos com os novos modelos de sensores. Talvez ele não traga melhorias. Discutimos a respeito com os investigadores", disse Gourgeon.

A agência responsável pela investigação das causas do acidente com o A330 da Air France já revelou problemas de incoerência das velocidades medidas pelos sensores do avião.

A Agência Europeia da Aviação declarou nesta semana que o A330 "é um avião seguro, mesmo com os antigos modelos de sensores".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG