Série de ataques deixa ao menos 72 mortos na capital do Iraque

Quatro explosões são registradas em dois bairros de maioria xiita de Bagdá, aumentando temor de violência sectária

iG São Paulo |

Uma série de ataques deixou ao menos 72 mortos nesta quinta-feira em dois bairros xiitas de Bagdá, capital do Iraque, aumentando o temor de uma escalada de violência após a retirada das tropas americanas , concluída em dezembro, de acordo com a agência Associated Press.

Leia também: Após retirada americana, cresce temor de conflito sectário no Iraque

AP
Iraquianos observam ônibus danificado após explosão em Sadr City, bairro de maioria xiita em Bagdá

Os ataques começaram com a explosão de uma bomba presa a uma moto perto de um ponto de ônibus no bairro de Sadr City, nordeste da cidade, onde trabalhadores se reúnem para procurar emprego. Uma testemunha disse que o local ficou tomado por fumaça.

Pouco depois, uma bomba explodiu em uma estrada de Sadr City, e a polícia disse ter encontrado um terceiro artefato explosivo que foi desarmado antes de detonar.

Menos de duas horas depois, duas explosões quase simultâneas atingiram o bairro Kazimiyah, no norte da capital. Em pelo menos um dos ataques foi usado um carro-bomba.

Nenhum grupo assumiu responsabilidade pelos ataques e o porta-voz dos militares em Bagdá, major Qassim al-Moussawi, afirmou ser muito cedo para apontar culpados.

Os ataques dessa quinta-feira são os piores registrados em Bagdá desde 22 de dezembro, quando uma série de atentados deixou 69 mortos principalmente em bairros xiitas. A Al-Qaeda no Iraque reivindicou a ação.

Desde a retirada americana, cresce no Iraque o temor de uma escalada nos conflitos entre xiitas e sunitas . A tensão se agravou por causa da grave crise política entre os dois grupos, após um mandato de prisão emitido pelo governo de maioria xiita contra o vice-presidente sunita Tareq al-Hashemi.

O governo do primeiro-ministro Nouri al-Maliki acusa Hashemi de ter pago seguranças para assassinar autoridades do governo – o que ele nega. Malili também pressiona pela destituição do vice-premiê, o sunita Saleh al-Mutlaq, por tê-lo comparado a Saddam Hussein.

Com isso, muitos sunitas acusam Maliki de estar agindo para tirá-los do poder. Pelo sistema de divisão de poderes instituído pelos EUA, o Iraque tem um primeiro-ministro xiita, presidente curdo e presidente do Parlamento sunita.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: iraqueeuaretirada americanaxiitassunitasguerra do iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG