Novo teste norte-coreano ocorreu muito perto do de 2006 (CTBTO)

O teste nuclear anunciado nesta segunda-feira pela Coreia do Norte foi realizado a menos de dois quilômetros do local do primeiro teste feito por Pyongyang em outubro de 2006, indicou a Comissão Preparatória da Organização para a Proibição de Testes Nucleares (CTBTO) da ONU.

AFP |

Segundo os instrumentos de detecção da comissão, o tremor provocado pela explosão ocorreu à 00h54 GMT (21h54 de domingo em Brasília), e estava localizado "muito, muito próximo do evento de 2006", indicou à imprensa em Viena seu secretário-geral, Tibor Toth, citando uma latitude de 41.289 Norte e uma longitude de 129.048 Leste.

A comissão não conseguiu estabelecer, no entanto, a natureza nuclear ou não da explosão registrada, indicou Toth.

"O tremor ocorreu muito próximo da superfície, com uma magnitude de 4,5 na escala Richter", indicou. O teste norte-coreano de outubro de 2006 tinha registrado uma magnitude de 4,1, segundo a CTBTO.

O impacto foi registrado por todas as 39 estações sismológicas conectadas à Rede Internacional de Detecção (IMS), indicou a CTBTO, que possui uma rede de 337 modernas instalações de detecção de testes nucleares, sendo que 75% já estão operacionais.

Consultado sobre o tamanho do eventual artefato nuclear com base na potência da detonação, Toth respondeu: "De acordo com o que sabemos, por esse tipo de magnitude está em uma margem de alguns quilotons".

A organização aguarda agora informações complementares a partir do monitoramento dos radionuclídeos por meio da detecção de gases raros que conseguiram escapar para determinar com maior precisão se se tratou de um teste nuclear

O Tratado para a Proibição de Testes Nucleares CTBT, concluído em 1996, foi assinado por 180 países até hoje, mas entrará em vigor apenas após a sua ratificação por nove atores-chave como a China, os Estados Unidos, Israel, o Paquistão e a Coreia do Norte, principalmente.

No início de seu mandato, o presidente americano Barack Obama prometeu uma "ratificação rápida" deste tratado.

spm/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG