Um novo terremoto, de 6,1 graus na escala Richter, atingiu o Haiti nesta quarta-feira e seus efeitos foram sentidos na capital do país, Porto Príncipe, cidade já devastada por um http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2010/01/14/veja+as+principais+noticias+sobre+o+terremoto+no+haiti+9290067.html target=_toptremor violento na última semana.

O tremor, que ocorreu às 6h03 (9h03 de Brasília), foi forte e prolongado. O epicentro do terremoto teve profundidade de 9,9 quilômetros e foi localizado a 41 quilômetros de Jacmel, no sudeste do país, e a 59 quilômetros da capital haitiana, segundo dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, em inglês).

O terremoto desta quarta-feira derrubou alguns edifícios que estavam com a estrutura comprometida pelo tremor da última semana, segundo repórteres da agência EFE que estão no Haiti. A enviada especial da emissora "VTV", rede estatal de televisão venezuelana, disse que "as estruturas já colapsadas e que estavam condenadas terminaram de cair com este movimento, que foi muito forte".

Integrantes do batalhão brasileiro que compõem a missão de paz da ONU no Haiti, a Minustah, já avaliavam possíveis desabamentos de escombros deixados pelo terremoto do dia 12 de janeiro. Militares do Brasil disseram que uma análise de eventuais danos deve ser realizada em breve.

Repórteres da agência AP no país informaram que o novo tremor assustou a população, que correu para as ruas para evitar novos soterramentos.

Temendo novos abalos, milhares de pessoas têm dormido nas ruas de Porto Príncipe desde a tragédia.

Apesar da intensidade do terremoto, não foi ativado um alerta de tsunami na região.

Tremor da última semana

O forte terremoto de 7 graus na escala Richter que atingiu o Haiti no dia 12 de janeiro teve epicentro a 15 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe, e já  deixou ao menos 75 mil mortos .

O Exército brasileiro informou que pelo menos 18 militares do país que participavam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto. A médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti, também morreram no tremor.

* Com EFE e AP

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.