Novo presidente do Líbano presta juramento perante o Parlamento

Beirute, 25 mai (EFE).- O novo presidente do Líbano, Michel Suleiman, prestou juramento hoje perante o Parlamento como chefe de Estado do país após ser eleito por uma grande maioria na Assembléia Nacional.

EFE |

Suleiman foi proclamado presidente depois de o cargo permanecer vago durante seis meses.

"Juro, por Deus, o grande, respeitar a Constituição e as leis e conservar a independência e a integridade territorial do Líbano", declarou Suleiman ao Parlamento, que o correspondeu com aplausos.

Suleiman convidou todos os políticos e cidadãos libaneses a abrirem um novo capítulo "com o olhar no futuro" e afirmou que a estabilidade desejada pelo país "obriga a reativar as instituições do Líbano pelo bem da pátria".

Neste contexto, o novo presidente pediu aos grupos rivais para avançarem pelo caminho do diálogo e não pelo confronto.

Suleiman, interrompido várias vezes pelos aplausos da Assembléia Nacional, defendeu a promulgação de uma nova lei eleitoral que seja fundamentada no "respeito da vontade popular" e disse ser necessária a constituição de uma comissão especial.

O novo chefe de Estado também se mostrou propício a que o Líbano colabore com o tribunal internacional que investiga o assassinato do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri - em 14 de fevereiro de 2005 - e cuja formação continua bloqueada desde o começo da crise, em novembro de 2006, quando os ministros xiitas se retiraram do Governo.

Sobre a milícia xiita Hisbolá, Suleiman afirmou em seu discurso que o Líbano deve conservar a resistência "para se beneficiar dela dentro de uma estratégia defensiva", mas disse que as armas "têm que ser estar apontadas apenas para o inimigo".

Além disso, Suleiman declarou que a ocupação por Israel das Fazendas de Chebaa, situadas na fronteira da Síria e do Líbano com o Estado judeu, "obriga a adotar uma nova estratégia defensiva para proteger a pátria".

O novo chefe do Estado, que não esteve presente durante a votação em que foi eleito minutos antes, foi recebido na porta do Parlamento pelo presidente da Assembléia Nacional, o xiita Nabih Berri.

Dentro do plenário, Suleiman, com traje civil, foi ovacionado pelos parlamentares e pelas autoridades estrangeiras que estiveram presentes ao ato.

Antes do juramento, Berri elogiou o chefe de Estado do Catar, emir Hamad bin Khalifa al-Thani, por seu trabalho de mediação no conflito libanês, e lembrou que hoje também se relembra a saída de Israel do Líbano, há oito anos.

Berri também pediu ao novo presidente que "dirija o país para fortalecer a paz social".

O novo chefe do Estado, que recebeu 118 votos de um total de 127 deputados, permanecerá no cargo por seis anos, como define a Constituição libanesa. EFE ks/wr/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG