Tegucigalpa, 4 jul (EFE).- O novo ministro da Defesa de Honduras, Adolfo Sevilla, pediu hoje ao presidente deposto, Manuel Zelaya, que não retorne ao país até que um novo Governo surja das eleições de novembro.

Sevilla, vice-ministro da Defesa no Governo Zelaya, chamou o líder deposto à "reflexão" e pediu que "retorne depois ao país, quando o novo presidente de Honduras tiver tomado posse", em 27 de janeiro de 2010.

O ministro da Defesa pediu também que Zelaya "aceite a situação", um fato que chamou de "irreversível".

"Sei que ele em nenhum momento vai querer que sangue hondurenho manche as ruas de nosso país", disse à emissora local "HRN" Sevilla, nomeado para o cargo na segunda-feira pelo novo presidente, Roberto Micheletti.

A Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) debate hoje a suspensão de Honduras, que se negou a acatar um mandato do organismo de pôr Zelaya de volta ao poder.

O Governo de Micheletti, submetido ao isolamento internacional, denunciou na sexta-feira a Carta da OEA, decisão que o secretário-geral da entidade, José Miguel Insulza, considerou sem validade alegando que o novo Executivo não é legítimo. EFE lam/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.