Tegucigalpa, 5 jul (EFE).- O Governo do novo presidente de Honduras, Roberto Micheletti, propôs hoje aos países da Organização dos Estados Americanos (OEA) um diálogo de boa fé para resolver a grave crise política surgida após a destituição de Manuel Zelaya.

O diálogo proposto envolve representantes "dos poderes do Estado de Honduras e uma delegação de representantes de membros da OEA junto com funcionários de menor categoria da secretaria-geral", diz uma carta divulgada pelo novo Governo hondurenho em coletiva de imprensa.

A carta foi enviada pelo presidente da Suprema Corte, Jorge Rivera, ao representante da OEA, Jorge Miranda, e lida através de rádio e televisão pela vice-chanceler hondurenha, Marta Alvarado.

Segundo o documento, "uma vez que as conversas alcancem o nível apropriado, a secretaria-geral (da OEA) elevaria a categoria de sua representação".

"Enquanto o diálogo de boa fé estiver em curso, não acontecerão atos ou situações que possam pôr em perigo a paz social da República e comprometer o esforço nas conversas", especificou a nota.

O Governo de Micheletti, que substituiu Zelaya após o golpe há uma semana, propôs o diálogo horas depois de a OEA suspender Honduras como membro do organismo por se negar a reinstalar o líder deposto no poder. EFE lam/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.