Novo estudo liga nicotina à propagação do câncer do seio

A nicotina pode desempenhar um papel proeminente no desenvolvimento e na propagação do câncer de mama, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira na revista Cancer Research.

AFP |

"Apesar de diversas pesquisas terem se centralizado no papel da nicotina no desenvolvimento de tumores cancerosos em geral, pouco se disse sobre os efeitos dessa substância no crescimento e propagação do câncer de mama em particular", explica no artigo o especialista Chang Yan Chen, do Centro Médico Beth Israel Deaconess em Boston, Massachusetts (nordeste).

Chen determinou por meio de uma série de estudos in vitro que as células do epitélio -tecido não-vascularizado que forma uma das camadas celulares que protegem a superfície externa do corpo- possuem, como as células cancerosas do seio, grandes quantidades de receptores de nicotina (NACHR).

Ao serem ativados, esses receptores impulsionam o desenvolvimento celular e a migração para outras partes do corpo.

Apesar de "o papel desses receptores sobre o sistema nervoso ser muito conhecido", explica Chen, "sabemos muito pouco a respeito das funções desses receptores sobre as células não-nêuricas e em particular sobre os tecidos mamários".

"Conseguimos constatar (...) que a nicotina, aparentemente ao aproveitar falhas nos controles nos ciclos celulares, contribui para o crescimento de células mamárias pré-cancerosas e cancerosas", acrescenta.

As experiências confirmaram essas observações com células cancerosas injetadas no rabo de um rato, que emigraram para os pulmões do animal.

Os estudos in vitro e em animais indicaram que a nicotina não é um cancerígeno clássico, mas que se combina com outras substâncias para induzir o câncer.

"Neste ponto da pesquisa só podemos dizer que a nicotina reforça o crescimento das células cancerosas", conclui Chen.

js/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG