Novo controlador da República toma posse na Bolívia; oposição contesta

LA PAZ - O deputado Gabriel Herbas Camacho, do Movimiento al Socialismo (MAS), partido do presidente da Bolívia, Evo Morales, tomou posse nesta segunda-feira como controlador da República interino, substituindo Osvaldo Gutiérrez, destituído no fim de semana por descumprimento de função.

Agência Ansa |

A designação foi criticada pela oposição, que acusa Morales de exercer ingerência sobre a Controladoria Geral da República, um dos últimos órgãos do país ainda considerados independentes. Gutiérrez fora nomeado pelo Congresso em 2005, durante o governo do ex-presidente Carlos Mesa.

Na cerimônia de posse do novo controlador, realizada no Palácio Quemado, sede do governo federal, Morales pediu a Camacho que se dedique "integralmente" ao trabalho de investigar irregularidades ocorridas na gestão da entidade.

"Queremos saber como esta instituição foi administrada, como as empresas transnacionais foram defendidas e como a corrupção foi escondida", disse o presidente.

Gutiérrez foi substituído por decisão da Comissão de Constituição da Câmara dos Deputados, que destacou o não cumprimento do prazo fixado para a realização de uma auditoria de empresas petroleiras que atuam no país. A demora nos trabalhos foi denunciada pelo deputado José Pimentel, da base governista.

De acordo com o presidente Morales, Gutiérrez não vinha cumprindo com suas obrigações, e uma prova disso seria o fato de que apenas 65% do orçamento da entidade para este ano foram executados.

O ex-controlador nega a versão e promete recorrer. Em entrevista a uma rádio boliviana, ele atribuiu à sua destituição, feita sem qualquer comunicado prévio, uma tentativa do governo de "esconder o conteúdo de relatórios preliminares, que denunciam prejuízos causados ao Estado pelas petroleiras".

Para a oposição, a substituição pode culminar na politização de uma entidade até então tida como independente.

A deputada Lourdes Millares, do partido Podemos, disse que a destituição de Gutiérrez comprova que todos aqueles que não se "submetem aos desígnios do MAS podem ser punidos". Segundo ela, a Controladoria é um órgão essencial para garantir a transparência na gestão pública.

Millares ressaltou ainda que Morales estaria seguindo o exemplo do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que segundo ela também "tomou" o controle da Controladoria Geral da República e do Conselho Nacional Eleitoral de seu país.

Para o deputado Arturo Murillo, do partido Unidade Nacional (UN), a decisão demonstra que o governo federal "não impõe limites" a seu objetivo de consolidar um "poder absoluto", violando normas e leis do país.

    Leia tudo sobre: evo morales

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG