Novo comandante japonês pede desculpas por texto sobre guerra

TÓQUIO (Reuters) - O novo chefe da Força Aérea do Japão pediu desculpas nesta sexta-feira por seu antecessor, demitido na última semana por negar que o Japão tenha sido um agressor na 2a Guerra Mundial, e prometeu restaurar o orgulho de suas tropas. Kenichiro Hokazono, 57 anos, substitui Toshio Tamogami, que rejeitou a história e incitou a ira na China e na Coréia do Sul, onde muitos sofreram sob as agressões dos japoneses durante a guerra.

Reuters |

"Eu peço sinceras desculpas por uma pessoa que, com cargo importante na Força Aérea, ter prejudicado a confiança das pessoas ao expressar publicamente uma opinião diferente da visão do governo", disse Hokazono a jornalistas em sua primeira entrevista coletiva.

"Eu pretendo assumir a liderança e criar uma Força Aérea ativa, repleta de confiança e orgulho", disse ele.

A opinião de Tamogami também é partilhada entre alguns políticos e estudiosos de direita. No entanto, o governo anunciou um pedido oficial de desculpas em 1995 e endossado pelo primeiro-ministro Taro Aso.

(Reportagem de Isabel Reynolds)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG