Novo chefe do Judiciário do Irã promete punir quem violar lei

Teerã, 17 ago (EFE).- O novo chefe do Poder Judiciário iraniano, Sadeq Amoli Larijani, prometeu hoje julgar todos os que violarem os direitos dos cidadãos iranianos.

EFE |

Ao tomar posse do cargo, o clérigo admitiu haver deficiências no sistema de justiça e deu a entender que atuará com firmeza contra qualquer pessoa que desrespeitar a lei, independente de seu posto.

"Ninguém poderá violar os direitos dos cidadãos. Aqueles que ignorarem isto e violarem os direitos dos cidadãos devem saber que serão julgados, cedo ou tarde", disse Larijani, citado pela agência de notícias "Irna".

O novo chefe do Poder Judiciário, irmão do atual presidente do Parlamento, Ali Larijani, insistiu em que a Justiça é o pilar do sistema islâmico no Irã e que sua prioridade será manter sua coesão.

"Todos nós somos responsáveis da melhora do sistema. Ninguém pode atuar contra a lei e violar os direitos da nação", advertiu.

A maior parte das autoridades do país assistiu à cerimônia, que também servia para a despedida de seu antecessor, Mahmoud Hashemi Sahroudi, após dez anos de serviço.

Entre elas se destacava também a presença do ex-presidente Ali Akbar Hashemi Rafsanjani, que advertiu das consequências que podem ter sentenças injustas.

Se a nação sentir que existem problemas com o tratamento aos detidos "a sociedade afundará no caos", acrescentou o ex-líder, citado pela televisão estatal "PressTV".

Rafsanjani mostrou sua simpatia pelos candidatos derrotados nas eleições presidenciais de 12 de junho, que rejeitaram os resultados que permitiram a polêmica reeleição do atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad. EFE msh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG