Novo chanceler de Israel descarta deixar Golã para paz com Síria

Jerusalém, 2 abr (EFE).- O novo ministro de Assuntos Exteriores de Israel, o ultradireitista Avigdor Lieberman, descarta qualquer retirada de seu país das colinas de Golã como requisito para conseguir a paz com a Síria, como diz em entrevista publicada hoje pelo diário local Haaretz.

EFE |

"Não existe uma resolução de Governo sobre as negociações com a Síria, e já dissemos que não acordaremos nos retirar das colinas de Golã. A paz só será em troca de paz", afirma Lieberman.

As colinas do Golã formam um território ocupado por Israel na Guerra dos Seis Dias (1967), não reconhecido internacionalmente, e que a Síria reivindica para assinar um acordo de paz com o Estado judeu.

O Governo Ehud Olmert teve conversas de paz com a Síria, com a Turquia como mediador, entre maio e dezembro de 2008.

Os contatos foram suspensos, porém, quando Israel lançou no final do ano passado uma ofensiva militar na Faixa de Gaza.

Lieberman diz ao jornal que como requisito para dialogar com a moderada Autoridade Nacional Palestina (ANP), os palestinos devem antes lutar contra todo tipo de terrorismo, tomar o controle de Gaza e desmilitarizar o movimento islâmico Hamas. EFE db/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG