Novo balanço de tsunami na Indonésia tem 449 mortos

Vulcão teve nova erupção no sábado. País sofre as consequências dos dois desastres naturais

AFP |

O governo da Indonésia intensificou os esforços para ajudar os moradores das ilhas remotas devastadas na segunda-feira por um tsunami que deixou pelo menos 449 mortos e 96 desaparecidos, segundo o balanço atualizado divulgado neste domingo.

As equipes de emergência tentam chegar aos vilarejos isolados afetados por chuvas torrenciais e pelo mar agitado, com ondas de até três metros de altura na costa. No sábado, as autoridades anunciaram que 135 sobreviventes que eram considerados desaparecidos foram resgatados em uma área alta da ilha de Pagai Norte.

"O balanço mais recente é de 449 mortos e 96 desaparecidos", declarou à AFP o coordenador dos trabalhos de emergência, Agus Prayitno. "Além do grande grupo de sobreviventes encontrado ontem (sábado), outros indivíduos também conseguiram chegar aos abrigos temporários. Alguns, inclusive, retornaram a seus vilarejos", completou.

Outro funcionário do governo, Joskamatir, destacou que as buscas dos desaparecidos prosseguem, mas disse que as chances de encontrar sobreviventes são pequenas.

O tsunami, provocado na segunda-feira passada por um terremoto de 7,7 graus de magnitude, forçou 15.000 pessoas a abandonar as ilhas Mentawai, perto da costa oeste de Sumatra.

A Indonésia também tarbalha para ajudar os moradores da região do vulcão Merapi, no centro de Java. As erupções recentes obrigaram 50.000 pessoas a abandonar a área.

Vulcão

O vulcão indonésio Merapi, que provocou a morte de 34 pessoas na terça-feira, voltou a entrar em erupção no sábado, provocando a fuga de milhares de pessoas aterrorizadas com a nova explosão.

A nova erupção do Merapi, que aconteceu à 1h (16h de sexta-feira no horário de Brasília), foi mais forte e fez mais barulho que a de terça-feira, projetando cinzas a 20 km da cratere, segundo os moradores da região. Ao contrário da erupção de terça-feira, a de sábado não provocou mortes diretas, mas duas pessoas faleceram em um acidente de trânsito quando milhares de pessoas tentavam fugir, de madrugada, da área afetada.

Quase 50.000 pessoas estão abrigadas em centros temporários abertos desde segunda-feira nas proximidades de Yogyakarta, a grande cidade vizinha.

Muitos países já anunciaram ajuda à Indonésia, como a Comissão Europeia, que liberou 1,5 milhão de euros (quase US$ 2 milhões).

    Leia tudo sobre: Tsunamivulcãoindonésiadesastre naturalmortos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG