Novo ataque com mísseis na fronteira afegão-paquistanesa mata 20

Islamabad, 31 out (EFE).- Pelo menos 20 pessoas morreram hoje e dez ficaram feridas em um suposto ataque com mísseis de um avião espião americano na demarcação tribal paquistanesa do Waziristão do Norte, fronteiriça com o Afeganistão, segundo uma fonte dos serviços de inteligência citada pelo canal Dawn TV.

EFE |

Dois mísseis caíram contra uma residência na localidade de Mirali e "supostamente" mataram um dirigente da rede terrorista Al Qaeda, Abu Akash, de origem iraquiana, segundo a fonte.

Um correspondente da "Dawn TV" no noroeste paquistanês citou também testemunhas que asseguraram que a maioria dos mortos são árabes, embora entre eles também haja, segundo as fontes, paquistaneses.

A fonte do serviço de inteligência assinalou que Akash vive no Paquistão há três anos e está relacionado com vários ataques contra as tropas da coalizão liderada pelos Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) destacadas no Afeganistão.

O Governo paquistanês chamou para consultas, na quarta-feira passada, a embaixadora dos EUA em Islamabad, Anne Patterson, e pediu a ela a cessação imediata dos "contínuos" ataques que seriam responsabilidade dos americanos.

O último ataque aconteceu no último dia 26, quando um avião espião lançou mísseis contra uma suposta base insurgente na demarcação tribal do Waziristão do Sul, um dos redutos dos fundamentalistas.

Nos últimos dois meses e meio aconteceram 13 ataques desta natureza, a maioria deles atribuídos a aviões americanos não pilotados. EFE igb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG