Nove pessoas foram presas na Itália acusadas de envolvimento em apostas ilegais por meio da manipulação de resultados de jogos de futebol, informou nesta segunda-feira a polícia italiana. Entre os detidos estão Giuseppe Postiglione, o presidente da equipe Potenza, da terceira divisão, e Luca Evangelista, dirigente da equipe Pro Vastese.

Eles são acusados de envolvimento em fraudes ligadas a partidas da segunda e terceira divisão italianas entre 2007 e 2009.

Um jogo que está sendo investigado foi entre os times Ravenna e Lecce, vencido pelo Lecce por 3 a 1 em abril do ano passado, no qual Postiglione supostamente venceu uma aposta de 86 mil euros.

A promotoria pública de Potenza disse que há evidências de que jogos foram arranjados.

Nove países
Também nesta segunda-feira, a Federação Alemã de Futebol anunciou a criação de uma força-tarefa para investigar outro escândalo de fraudes no futebol, envolvendo cerca de 200 jogos em vários países.

Na sexta-feira, um representante da Uefa (a Associação Europeia de Futebol) disse que este seria o maior escândalo dessa natureza a já atingir o futebol no continente.

"Nós da Uefa estamos atordoados com a magnitude disto", disse Peter Limacher, um dos diretores da Uefa.

Até agora, 17 suspeitos de envolvimento nos crimes foram presos - 15 na Alemanha e dois na Suíça.

Segunda os investigadores alemães, uma quadrilha internacional, com cerca de 200 membros, teria atuado em pelo menos nove países europeus, distribuindo subornos a jogadores, técnicos, árbitros e dirigentes de clubes para que os jogos tivessem resultados específicos.

A quadrilha teria lucrado milhões ao apostar nos resultados das partidas manipuladas.

De acordo com as informações da polícia, todos esses jogos foram disputados neste ano em nove países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bósnia-Herzegóvina, Croácia, Eslovênia, Hungria, Suíça e Turquia.

As investigações estão sendo organizadas pela polícia alemã, com o apoio da Uefa.

Antecedentes
A prática tem antecedentes no continente. Em 2006, Juventus, Fiorentina, Lazio e Milan - alguns dos clubes mais importantes da Itália - foram considerados culpados em um inquérito sobre resultados predeterminados.

Em 2005, um árbitro da Alemanha, Robert Hoyzer, confessou ter tentado manipular jogos. Seu depoimento a investigadores revelou uma rede ligada a uma organização criminosa croata.

Desde então, a Uefa adotou um sistema de vigilância com o objetivo de alertar sobre a existência de padrões incomuns de apostas em jogos de futebol.

O sistema monitora as apostas em tempo real, dando a investigadores uma visão imediata de comportamentos suspeitos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.