Nove são presos na Itália por manipular resultados de jogos de futebol

Nove pessoas foram presas na Itália acusadas de envolvimento em apostas ilegais por meio da manipulação de resultados de jogos de futebol, informou nesta segunda-feira a polícia italiana. Entre os detidos estão Giuseppe Postiglione, o presidente da equipe Potenza, da terceira divisão, e Luca Evangelista, dirigente da equipe Pro Vastese.

BBC Brasil |

Eles são acusados de envolvimento em fraudes ligadas a partidas da segunda e terceira divisão italianas entre 2007 e 2009.

Um jogo que está sendo investigado foi entre os times Ravenna e Lecce, vencido pelo Lecce por 3 a 1 em abril do ano passado, no qual Postiglione supostamente venceu uma aposta de 86 mil euros.

A promotoria pública de Potenza disse que há evidências de que jogos foram arranjados.

Nove países
Também nesta segunda-feira, a Federação Alemã de Futebol anunciou a criação de uma força-tarefa para investigar outro escândalo de fraudes no futebol, envolvendo cerca de 200 jogos em vários países.

Na sexta-feira, um representante da Uefa (a Associação Europeia de Futebol) disse que este seria o maior escândalo dessa natureza a já atingir o futebol no continente.

"Nós da Uefa estamos atordoados com a magnitude disto", disse Peter Limacher, um dos diretores da Uefa.

Até agora, 17 suspeitos de envolvimento nos crimes foram presos - 15 na Alemanha e dois na Suíça.

Segunda os investigadores alemães, uma quadrilha internacional, com cerca de 200 membros, teria atuado em pelo menos nove países europeus, distribuindo subornos a jogadores, técnicos, árbitros e dirigentes de clubes para que os jogos tivessem resultados específicos.

A quadrilha teria lucrado milhões ao apostar nos resultados das partidas manipuladas.

De acordo com as informações da polícia, todos esses jogos foram disputados neste ano em nove países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bósnia-Herzegóvina, Croácia, Eslovênia, Hungria, Suíça e Turquia.

As investigações estão sendo organizadas pela polícia alemã, com o apoio da Uefa.

Antecedentes
A prática tem antecedentes no continente. Em 2006, Juventus, Fiorentina, Lazio e Milan - alguns dos clubes mais importantes da Itália - foram considerados culpados em um inquérito sobre resultados predeterminados.

Em 2005, um árbitro da Alemanha, Robert Hoyzer, confessou ter tentado manipular jogos. Seu depoimento a investigadores revelou uma rede ligada a uma organização criminosa croata.

Desde então, a Uefa adotou um sistema de vigilância com o objetivo de alertar sobre a existência de padrões incomuns de apostas em jogos de futebol.

O sistema monitora as apostas em tempo real, dando a investigadores uma visão imediata de comportamentos suspeitos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG