Nove países se comprometeram em reconsruir um valioso monumento histórico destruído pelo devastador terremoto de 6 de abril que arrasou o setor medieval de LAquila, no centro da Itália, anunciou nesta sexta a Defesa Civil ao término da cúpula do G8.

A Espanha será o país que empregará mais fundos, 50 milhões de euros, para a reconstrução da imponente "Fortaleça Espanhola", de 1527, que fo seriamente afetada pelo tremor de terra.

A fortaleza, que foi construída durante o domínio espanhol, era a sede do Museu Nacional de Abruzzo e teve que ser fecahda por causa dos danos.

A obra de reconstrução deve durar oito anos.

A Defesa Civil italiana, que coordena os trabalhos de reforma, elaborou uma lista de 45 monumentos que necessitam ser adotados por um total de 300 milhões de euros.

As autoridades italianas avaliam que precisarão de 3 bilhões de euros para restaurar todo o patrimônio cultura da região.

A França anunciou que reconstruirá a Igreja de Santa Maria do Suffragio, no coração de L'Aquila, por um custo de 6,5 milhões de euros.

A Igreja de Paganica, pequena localidade da periferia, será restaurada pelos Estados Unidos, a 4,5 milhões de euros.

A Alemanha escolheu remodelar a igreja histórica da localidade de Onna, vítima durante a Segunda Guerra Mundial de uma matança nazista.

Além da adoção de monumentos, vários países, entre eles Japão e Canadá, anunciaram que se comprometem com a construção de um campo universitário e um centro esportivo, respectivamente.

kd-kv/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.