Nove morrem em catástrofe no pico K-2; outros desaparecidos

GILGIT - Pelo menos nove alpinistas morreram no K-2, o segundo mais alto pico do mundo, no Paquistão, em um dos dias mais trágicos da atividade, e o saldo de vítimas pode aumentar, disseram os organizadores da expedição neste domingo.

Reuters |

Os mortos confirmados incluem três sul-coreanos, dois nepaleses e alpinistas da Sérvia, Noruega, Holanda e França.

Informações não confirmadas apontam que um paquistanês morreu e vários alpinistas estrangeiros e locais estavam desaparecidos.

A catástrofe ocorreu na sexta-feira, quando um grande bloco de gelo se desprendeu e rompeu as cordas fixas que o seguravam, provocando uma avalanche na encosta perigosa conhecida como Gargalo de Garrafa, a mais de 8.200 metros de altitude.

Vários membros da expedição estavam na montanha, incluindo uma equipe coreana que estava descendo depois de atingir o pico de 8.611 metros de altitude, no norte do Paquistão, fronteira com a China.

A equipe coreana perdeu cinco integrantes, incluindo os dois nepaleses.

'Eles estavam voltando do pico quando foram atingidos por uma avalanche no Gargalo de Garrafa', disse à Reuters Ghulam Mohammad, proprietário da agência Blue Sky Travels and Tours.

'Nosso contato no campo de base confirmou a morte de cinco pessoas.'

Três outras mortes foram confirmadas pelo brigadeiro Mohammad Akram, vice-presidente da Adventure Foundation, no Paquistão. 'Não temos os nomes dos alpinistas mortos, mas foi confirmado que havia um holandês, um norueguês e um francês entre eles', disse Akram.

Um alpinista sérvio, identificado como Dren Mandic em vários sites de alpinismo, morreu na manhã de sexta-feira durante a subida.

Antes dessa catástrofe, o dia mais letal na história do K-2 havia sido 13 de agosto de 1995, quando seis pessoas caíram ou desapareceram durante uma tempestade.

Zona da morte

Cerca de uma dúzia de alpinistas estavam presos no Gargalo de Garrafa, a uma altitude conhecida como a 'Zona da Morte' porque os corpos começam a se degenerar devido à falta de oxigênio.

O céu estava claro e não havia previsão de mau tempo quando ocorreu o acidente, disse o operador de turismo Asghar Ali, que informou que todos os membros de sua expedição haviam sido encontrados.

O exército paquistanês não decidiu se vai correr o risco de enviar uma missão de resgate por helicóptero devido às condições perigosas, apesar do bom tempo.

'Ainda estamos discutindo as possibilidades de uma operação porque a altitude onde o acidente ocorreu é muito alta', disse o porta-voz do exército, major Farooq Firoz.

Mais de 70 alpinistas perderam a vida no K-2, vários deles no Gargalo de Garrafa.

Chamada de 'a montanha das montanhas' pelo famoso alpinista italiano Reinhold Messner, o K-2 não é o pico mais mortal em termos de número de vítimas, mas as estatísticas mostram que as chances de morrer na descida do K-2 são maiores do que em outros picos.

Leia mais sobre: Paquistão

    Leia tudo sobre: alpinistaspaquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG