Campala, 17 set (EFE).- Nove militares ugandenses e burundineses, incluindo um general, morreram hoje em um ataque suicida do grupo islâmico fundamentalista Al-Shabaab contra uma base das forças da Missão da União Africana na Somália (Amisom) no sul de Mogadíscio, confirmaram fontes oficiais em Campala.

Segundo o porta-voz do Exército de Uganda, major Felix Kulayigye, o comandante da Amisom, o general-de-divisão ugandense Nathan Mugisha, ficou ferido no atentado, que foi cometido com dois carros-bomba e que custou a vida do segundo chefe militar do contingente, o general-de-brigada ugandense Juvenile Niyongoruza, e outros oito integrantes da missão de paz africana.

"O general Mugisha e outros dez soldados feridos no atentado foram transferidos para atendimento médico em Nairóbi", disse, em entrevista coletiva na capital ugandense, o porta-voz militar.

Além dos dois generais, o porta-voz militar ugandense não pôde precisar quantos soldados ugandenses e burundineses, separadamente, morreram no atentado. EFE cm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.