Teerã, 26 nov (EFE).- Nove homens e uma mulher, acusados de assassinato, foram enforcados hoje em uma prisão de Teerã, informaram fontes judiciais da República Islâmica do Irã.

"Os dez assassinos foram enforcados na manhã de hoje na prisão de Ewin", disse à agência de notícias "Fars" o juiz que supervisiona o cumprimento das penas e que se identificou como Yaberi.

Desde a vitória da Revolução Islâmica em 1979, a legislação iraniana contempla mais de 100 crimes que podem levar à pena de morte, incluindo o assassinato, o tráfico de drogas, a espionagem, o homossexualismo e a blasfêmia contra o Islã.

Além disso, o Parlamento iraniano aprovou recentemente uma lei que incorpora a esta lista o crimes de "alterar a opinião pública", medida que foi duramente criticada pelos grupos de direitos humanos, devido à ambigüidade.

A organização Human Rights Watch (HRW) denunciou em setembro que a proteção aos direitos humanos no Irã piorou sob o Governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad, que chegou ao cargo em 2005.

Segundo a HRW, durante o mandato de Ahmadinejad, o número de sentenças de morte aplicadas "quadruplicou". EFE msh-ju/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.