Novas regras dividem opiniões de espanhóis em Brasília

Um cabeleireiro que visita o país pelo menos duas vezes por ano teve sua mala revistada pela primeira vez ao entrar no Brasil

Wilson Lima, iG Brasília |

As novas restrições para a entrada de espanhóis no Brasil, em vigor desde segunda-feira, ainda dividem opiniões. Há turistas que admitem serem válidas as novas regras; outros ficaram revoltados com as medidas. Um cabelereiro espanhol que desembarcou em Brasília nesta quarta-feira (4) pela manhã teve sua mala revistada pela primeira vez em dez anos de visitas periódicas ao Brasil.

Alan Sampaio / iG Brasília
Joaquim Garrido (D): pela primeira vez teve a mala revistada no Brasil

Joaquim Garrido, 33 anos é casado com uma brasileira, Valéria Marinho, de 32 anos. Pai de um menino de 2 anos e meio e com uma casa própria no Brasil, Garrido ficou indignado com as novas restrições. “Eu estava bem informado das regras. Venho sempre ao Brasil, mas foi a primeira vez que revistaram a minha mala”, disse Garrido.

Ele está no Brasil para visitar a família de sua esposa e disse que não era contrário às novas regras. “Mas chato é que as autoridades brigam e nós, cidadãos, somos os mais prejudicados”, afirmou. “Eu estava com as minhas malas e com meu filho no colo quando fui chamado para dar esclarecimentos. Só não foi pior porque estava com toda a documentação em mãos”, complementou o cabeleireiro.

O motorista Juan Martinez, 50 anos, também chegou nesta quarta-feira à Brasília para visitar a família da esposa, a brasileira Nauara Gonçalves. Ele disse que “entendia” as novas regas, apesar de se sentir um pouco incomodado com elas. “Lógico que fico desconfortável com essas novas exigências, mas eu entendo. Faz parte da política interna. Temos que respeitar. Eu já vim preparado e bem informado sobre o assunto”, afirmou.

Na terça-feira (3), um turista espanhol de aproximadamente 50 anos foi repatriado por não atender às novas exigências ao desembarcar no aeroporto internacional presidente Juscelino Kubitschek. Ele vinha de Madri por meio de um voo da TAP. Nos aeroportos do Rio de Janeiro e São Paulo, até agora a recepção tem sido tranquila, apesar de algumas reclamações dos turistas. A Polícia Federal não fala sobre o assunto mas existe a expectativa de que no início da próxima semana seja divulgado um balanço parcial sobre casos de espanhóis repatriados.

Alan Sampaio / iG Brasília
Juan Martinez (D) sobre novas medidas: "necessárias, mas desconfortáveis"
As novas exigências do governo federal para os espanhóis conseguirem autorização de entrada no Brasil tomam como base o “princípio diplomático da reciprocidade”. Elas foram instituídas após a Espanha endurecer as regras para permanência de brasileiros no País. Em 2010, conforme o Ministério das Relações Exteriores, 1,6 mil brasileiros foram barrados na Espanha acusados de tentarem entrar no país sem visto. No ano passado, ao menos 1,5 mil brasileiros foram repatriados pelo mesmo motivo.

Desde segunda-feira, o governo brasileiro está exigindo dos espanhóis a apresentação de passaporte válido por pelo menos seis meses, de bilhete aéreo de volta com data de retorno, comprovação de disponibilização de pelo menos R$ 170 por dia de estadia no País e reserva de hospedagem ou carta-convite autenticada com assinatura de amigos ou parentes que irão recebe-los.

Leia também : Brasil pode revogar exigências a espanhóis se Espanha fizer o mesmo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG