Novas avalanches e chuvas dificultam resgate de presos por vulcão na Colômbia

Bogotá, 23 nov (EFE).- As chuvas causaram hoje três novas avalanches no município colombiano de Belalcázar, o mais atingido pela erupção do vulcão Nevado del Huila, sem, por enquanto, informações sobre novas vítimas da catástrofe, informaram indígenas e os organismos de socorro.

EFE |

Os dois primeiros deslizamentos aconteceram de madrugada no bairro Jardin Bajo, do município de Belalcázar, departamento de Cauca (sudoeste).

Toneladas de lama com troncos de madeira destruíram as casas desse setor da localidade, a mais afetada pela erupção do vulcão na noite da quinta-feira, que deixa, até o momento, dez indígenas mortos e pelo menos 8 desaparecidos.

"Houve uma forte avalanche em El Salado e há uma quantidade de paus em cima das casas, gente machucada. Precisamos da ajuda do Governo central e que nos tirem daqui, porque isso está muito grave", disse um dos nativos da região.

A Cruz Vermelha Colombiana advertiu da chegada de outra avalanche nas próximas horas, muito maior do que as duas anteriores, devido às chuvas que ficam represadas parte alta do cânion El Salado.

Os organismos de socorro avaliam a situação e tentam estabelecer se as primeiras avalanches deixaram novas vítimas ou desabrigados na zona atingida.

No entanto, a Força Aérea Colômbia (FAC) teve que suspender os vôos, devido ao mau tempo.

A erupção do vulcão Nevado del Huila na noite da quinta-feira formou uma cratera de aproximadamente 400 metros de diâmetro em um dos picos desse cume do sudoeste colombiano. EFE fer/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG