Nova Zelândia e Austrália estudam ter força militar conjunta

Sydney (Austrália), 20 ago (EFE).- O primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, anunciou hoje que seu Governo trabalha com a Nova Zelândia para criar uma força militar conjunta, formada por tropas dos dois países.

EFE |

O governante australiano fez o anúncio no Parlamento de Canberra junto com o premiê neozelandês, John Key, que se encontra em visita oficial à Austrália.

"Queremos explorar a possibilidade de formar um contingente conjunto, que seja capaz de ser colocado em vários pontos conflituosos para fazer segurança", disse Rudd.

"No futuro, haverá cenários de segurança e defesa nos quais terá muito sentido para ambos os países o fato de poder nos desdobrarmos de maneira rápida e conjunta", disse o primeiro-ministro australiano.

Os ministros da Defesa de cada país serão encarregados de preparar os detalhes do acordo, que não será ratificado muito em breve, como explicaram os próprios governantes.

"Ainda não conseguimos a pista de aterrissagem neste assunto. Só ficamos de explorá-lo", assegurou Rudd.

A Austrália possui cerca de 50 mil homens em ativo (26 mil no Exército, 14 mil na Marinha e 15 mil na Força Aérea), além de 20 mil na reserva. Seu orçamento em Defesa é de mais de US$ 13 bilhões.

A Nova Zelândia, por sua vez, tem mais de oito mil militares em ativo (quatro mil no Exército, 1.900 na Marinha e 2.200 na Força Aérea), além de 10.800 na reserva. Seu orçamento militar é de US$ 1,4 bilhão. EFE mg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG