Nova York cria plano para impulsionar imprensa local

Nova York, 7 jul (EFE).- O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, anunciou hoje o começou de um plano para impulsionar as atividades dos veículos de comunicação na cidade e criar cerca de oito mil postos de trabalho nos próximos dez anos.

EFE |

"Há um montão de grandes cidades aí fora. Temos que nos assegurar de que as pessoas entendam que há uma razão para crescer, estar e ficar em Nova York", disse Bloomberg hoje em entrevista coletiva.

A iniciativa inclui desde programas de formação para profissionais de imprensa até a criação de centros de colaboração entre o setor e as universidades, passando por concursos para impulsionar a criação de aplicativos para telefones celulares que atraiam a atenção dos cidadãos.

Também haverá incentivos para a criação de bolsas de estudos e créditos livres de impostos de até US$ 10 milhões para modernizar instalações e equipamentos.

"Nova York é a capital midiática do mundo. Neste setor que enfrenta profundas mudanças, é importante que demos alguns passos para capitalizar as crescentes oportunidades e garantir que continuemos como líderes da indústria", acrescentou Bloomberg.

Em Nova York, os veículos de comunicação empregam 300 mil pessoas, o que representa quase 10% dos postos de trabalho gerados pelo setor privado na cidade e US$ 30 bilhões de dólares em receitas anuais.

A cidade é sede de mais de dez mil empresas de comunicação, das quais quase metade tem mais de 500 empregados. Além disso, conta com mais de 100 universidades e centros de estudos superiores.

Para aumentar os recursos dos que trabalham no setor de forma independente, a Prefeitura também planeja criar até o final de ano um centro de imprensa na zona sul de Manhattan, no qual 50 profissionais terão ocupação permanente, além de 1.850 que trabalharão lá de forma temporária ou ocasionalmente.

Além disso, foi desenvolvido um programa de formação no qual profissionais de mídias tradicionais passarão uma temporada aprendendo a usar novas tecnologias de graça. EFE mgl/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG