Nova York confirma morte de um homem por passagem de Irene

O imigrante José Sierra foi arrastado pela água enquanto verificava uma embarcação; tempestade deixa um desaparecido em Montreal

EFE |

As autoridades de Nova York confirmaram nesta segunda-feira que um homem de origem hispânica, de 68 anos e morador do bairro Bronx, é a primeira vítima do furacão Irene na cidade. Apesar de o fenômeno ter chegado com força reduzida à cidade e rebaixado à tempestade tropical, causou alagamentos. 

De acordo com a EFE, uma porta-voz do Escritório do Médico Legista da cidade informou que José Sierra se afogou e seu corpo foi arrastado pela corrente das águas que circundam a ilha de City Island, pertencente ao condado do Bronx.

O corpo de Sierra foi encontrado no domingo flutuando na água de um porto da área de Sunset Marina dessa ilha. O homem foi visto pela última vez conferindo o estado de sua embarcação nessa região no início da manhã, justo no pior momento do Irene, após a tormenta ter tocado terra no bairro de Coney Island (Brooklyn) por volta das 10 horas (horário de Brasília) da manhã de domingo.

Até então, o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, tinha se mostrado aliviado pela falta de vítimas em uma cidade que ficou completamente fechada, sem rede de transporte público e aeroportos e com ordem de retirada obrigatória dos habitantes das regiões com mais risco de inundação. A notícia da primeira vítima chegou no momento em que a cidade tenta recuperar a normalidade e depois de Bloomberg ter pedido aos cidadãos que doem sangue, já que as reservas ficaram abaixo da média após a passagem de Irene.

"Há uma coisa que os nova-iorquinos podem fazer para nos ajudar: doar sangue", disse o prefeito, que advertiu que as doações são especialmente necessárias antes do próximo feriado do Dia do Trabalho nos EUA (5 de setembro). Previamente, o Banco de Sangue de Nova York, que abastece todo o Estado além de Nova Jersey, anunciou que nos últimos dias se reduziram a níveis mínimos suas reservas de sangue de todos os tipos.

"Antecipamos os potenciais efeitos de Irene e despachamos sangue adicional para 200 hospitais", por isso são necessárias mais doações com rapidez, disse em comunicado o presidente do organismo, Rob Purvis.

Passagem por Montreal

A passagem da tempestade nos arredores de Montreal, no Canadá, deixou um desaparecido e provocou grandes cortes de eletricidade em amplas regiões do leste do país. A polícia de Québec informou que um homem desapareceu após seu carro ter sido arrastado pelas águas do noroeste de Montreal.

Equipes de resgate o estão procurando nas águas do rio Yamaska. O Instituto Meteorológico do Canadá disse que Irene provocou a queda de 100 a 200 milímetros de água ao passar pelo leste da cidade de Montreal, o que causou inundações em muitas localidades.

A chegada da tempestade ao Canadá no início da noite de domingo com ventos de até 95 km/h causou a queda de inúmeras árvores e cortes de eletricidade que afetaram 250 mil, disse a companhia elétrica Hydro-Québec. Mais 50 mil pessoas ficaram sem eletricidade na Província de Nova Brunswick.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: irenenova yorkfuracãotempestade tropical

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG