Hanna causa fortes chuvas - Mundo - iG" /

Nova tempestade se forma no Atlântico e Hanna causa fortes chuvas

(atualiza com boletim do NHC das 12h, de Brasília) Miami, 2 set (EFE).- A décima tempestade tropical da temporada, Josephine, se formou hoje a sudeste de Cabo Verde e pode se transformar em furacão, enquanto Hanna gera fortes chuvas nas Bahamas, informou o Centro Nacional de Furacões americano (NHC, em inglês).

EFE |

O NHC, com sede em Miami, informou em seu boletim das 12h (Brasília) que o olho de "Josephine", tempestade formada nessa que é a mais intensa temporada de furacões do Atlântico dos últimos anos, estava na latitude 13,2 graus norte e na longitude 25,3 graus oeste, 205 quilômetros a su-sudoeste do extremo sul de Cabo Verde.

Segundo NHC, a tempestade se movimenta em direção a oeste com velocidade de 24 quilômetros por hora e espera-se que continue sua trajetória rumo a oés-noroeste durante os próximos dias.

"Josephine" tem ventos máximos sustentados de 65 quilômetros por hora, com rajadas mais fortes, e os analistas prevêem que "pode se transformar em furacão nos próximos dois dias".

Já a tempestade tropical "Hanna", que apresentava ventos máximos sustentados de 110 quilômetros por hora, continuava causando fortes chuvas sobre as Bahamas e a ilha Hispaniola.

O olho de "Hanna" se encontra 600 quilômetros ao sudeste de Nassau, capital das Bahamas, e os meteorologistas esperam que ganhe força possivelmente amanhã à noite ou na quinta.

"Hanna" se movimenta em direção a nordeste a apenas nove quilômetros por hora, e espera-se que gire para o noroeste hoje à noite ou amanhã, além de um aumento da velocidade de seus ventos, segundo o NHC.

Permanece em vigor um aviso de tempestade tropical (passagem em 24 horas) para a costa norte do Haiti, de Le Mole St. Nicholas ao norte, até a fronteira com a República Dominicana.

Também permanece vigente um alerta de furacão para região central das Bahamas e sudeste das ilhas Turks e Caicos.

Enquanto isso, a tempestade tropical "Ike", que se encontra entre a África e as Pequenas Antilhas, se fortaleceu ligeiramente e apresenta ventos máximos sustentados de 95 quilômetros por hora.

O olho de "Ike" está a 1.785 quilômetros das ilhas de Sotavento.

O governador da Louisiana, Bobby Jindal, advertiu hoje que o estado continua em calamidade, embora o impacto do furacão "Gustav" tenha sido muito menor do que se temia.

Sobre os danos mais significativos, Jindal citou as cidades de Terrebonne, Lafourche e St. Mary, atingidas diretamente por "Gustav".

O prefeito de Nova Orleans, Ray Nagin, voltou a pedir aos moradores da cidade que não voltem ainda para suas casas e esperem pelo menos até amanhã ou quinta.

Cerca de dois milhões de pessoas foram evacuadas do sul da Louisiana.

Nagin se mostrou satisfeito com a resposta da cidade e, sobretudo, que finalmente o "Gustav" não tenha sido a "tempestade do século" nem a "mãe de todas as tempestades", como ele mesmo disse no sábado, quando urgiu à população a abandonar a região.

"Deveriam ter chamado 'Gustav' como a sogra ou a irmã mais feia de todas as tempestades", disse Nagin, em tom de brincadeira, e com semblante mais relaxado após a comprovação de que o efeito do furacão foi muito menor do que se esperava. EFE emi/wr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG