Nova Orleans resiste ao Gustav e moradores da Louisiana começam a retornar

NOVA ORLEANS - O furacão Gustav deixou pelo menos sete mortos na Louisiana, mas ao contrário do que aconteceu há três anos na passagem do Katrina, Nova Orleans resistiu graças ao sistema de diques reforçados, enquanto os dois milhões de moradores que haviam deixado a região começaram a retornar para casa.

Redação com agências internacionais |

O Gustav, que perdeu força ao seguir em direção ao Texas, afetou na segunda-feira a Louisiana com ventos de 175 km/h e chuvas torrenciais que provocaram o temor de que o sistema de proteção voltasse a se romper, como aconteceu com o furacão Katrina em 2005, quando 1.500 pessoas morreram em Nova Orleans.

Na terça-feira, funcionários da prefeitura tentavam retirar escombros e árvores caídas nas ruas e mais de um milhão de pessoas estavam sem energia elétrica em suas casas em todo o estado da Louisiana, segundo o governador Bobby Jindal.


Queda de árvores destruiu casas e matou duas pessoas/Getty Images

A evacuação de dois milhões de pessoas no sul da Louisiana, uma das maiores na história dos Estados Unidos, começou lentamente o caminho de volta.

Nova Orleans, que nos últimos dias virou uma cidade fantasma, com apenas 10.000 pessoas que decidiram ficar apesar das advertências, volta a recuperar vida.

Mais de 3.000 agentes da Guarda Nacional patrulham a cidade, ao lado de policiais, para garantir a segurança e evitar roubos em casas vazias, como aconteceu depois do Katrina.

Vítimas do Gustav

Sobre o número de vítimas fatais, as autoridades mantêm o número de sete mortos no sul da Louisiana. Quatro deles eram pacientes em estado muito grave que morreram quando foram transferidos de hospitais em Nova Orleans.

As outras pessoas morreram em dois incidentes diferentes, devido à queda de árvores.

Em sua passagem pelo Haiti, República Dominicana e Jamaica, "Gustav" deixou 96 mortos e grandes danos econômicos nesses três países e em Cuba, onde não houve vítimas fatais.

Veja também:

Leia mais sobre furacão Gustav

* Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: gustav

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG