Nova cirurgia adia julgamento de Fujimori

Lima, 10 jul (EFE) - O ex-presidente peruano Alberto Fujimori passou hoje por uma nova cirurgia para a extração de duas protuberâncias na língua que o obrigarão a repousar por 48 horas, causando a suspensão, até segunda-feira, do julgamento contra si por violação aos direitos humanos, revelaram fontes médicas.

EFE |

O médico pessoal de Fujimori, Alejandro Aguinaga, explicou à Agência Efe que, devido ao repouso recomendado pelos especialistas após a operação, efetuada no Instituto Nacional de Doenças Neoplásicas (Inen), em Lima, foi solicitado à Sala Penal Especial "que não haja audiência".

Ele acrescentou que o ex-presidente peruano (1990-2000) está à espera da decisão do referido tribunal.

Aguinaga, também deputado fujimorista, explicou que os granulomas, retirados com anestesia local, são parte de "uma reação inflamatória" e sua presença não significa que haja "um ressurgimento do câncer".

Fujimori foi levado hoje, por algumas horas, do centro de detenção na sede da Direção de Operações Especiais da Polícia (Diroes) ao Inen, sob um forte esquema de segurança.

O ex-governante já foi operado com sucesso em 5 de junho de uma lesão cancerígena na língua, o que obrigou à suspensão durante uma semana do julgamento e a realização de audiências de meia jornada por outra semana.

Fujimori é julgado por violações aos direitos humanos pela morte de 25 pessoas nos massacres de Barrios Altos e La Cantuta e poderia ser condenado a 30 anos de prisão se for considerado culpado.EFE wat/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG