Nova cepa de leptospirose é descoberta no Amazonas peruano

Uma nova cepa de leptospirose, uma doença letal, foi descoberta no Amazonas peruano, na região de Iquitos, informaram pesquisadores, nesta terça-feira.

AFP |

Essa bactéria pode ser responsável por até 40% dos casos de leptospirose da região. A doença, que pode matar, é transmitida de animais para humanos e pode causar icterícia, insuficiência renal, ou hemorragia pulmonar, entre outros sintomas.

A leptospirose afeta dezenas de milhões de pessoas todos os anos, mas está se tornando cada vez mais freqüente em regiões tropicais. Além disso, é difícil de diagnosticar, devido ao amplo leque de sintomas. As taxas de mortalidade podem chegar a 20%, ou 25%, em algumas regiões.

"Essa cepa tem características fundamentalmente diferentes", disse o autor do estudo, Joseph Vinetz, da Divisão de Doenças Infecciosas da Universidade da Califórnia, em San Diego.

"Acreditamos que centenas de pacientes estejam infectados com esta cepa patógena, que é tão única que os anticorpos para a doença não reagem aos exames normais de leptospirose", explicou.

Vinetz e seus colegas descobriram a variedade, quando faziam um estudo clínico de pacientes na região de Iquitos, no Peru, que buscavam tratamento médico porque estavam com febre.

A equipe descobriu que 41% dos 881 pacientes analisados tinham anticorpos que reagiam apenas a essa nova variedade da bactéria, mostrando uma incidência muito maior de leptospirose do que se pensava.

"Esta observação é relevante para outras regiões do mundo, onde a leptospirose é comum, porque é necessário identificar a cepa correta da Leptospira para fazer o diagnóstico correto", comentou Vinetz.

A descoberta foi divulgada no periódico sobre doenças tropicais ignoradas da Public Library of Science.

mso/tt/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG