Nos EUA, gripe resiste ao antiviral Tamiflu

A cepa dominante do vírus da gripe nos Estados Unidos desenvolveu uma resistência súbita ao Tamiflu, principal antiviral disponível no mercado, de acordo com relatório dos Centros Federais de Controle e de Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês).

AFP |

Desde 1º de outubro de 2008, 102 vírus da gripe de tipo A, 88 da cepa H1N1, 14 da H3N2, além de 40 do tipo B, provenientes de 25 estados americanos, tiveram sua resistência testada aos dois principais antivirais no país - o Tamiflu (Oseltamivir) e o Relanza (Zanamivir).

Os testes mostraram que 98% dos vírus mais comuns da estação, nos EUA (H1N1), são resistentes ao Tamiflu, remédio comercializado pelo grupo farmacêutico suíço Roche e o antiviral mais utilizado, de acordo com o informe enviado à AFP.

No último inverno (hemisfério norte), apenas 11% das culturas do vírus da gripe mais comum, encontradas nos pacientes e analisadas pelos CDCs, haviam-se mostrado resistentes ao Tamiflu.

Mesmo considerando-se que "essa resistência evoluiu rapidamente", Tom Skinner, porta-voz dos CDCs, destacou que não se trata de uma urgência sanitária, já que o vírus ainda pode evoluir e perder essa resistência.

Mas, frisou Skinner, "é preciso se vacinar", lembrando que há outros antivirais.

Segundo ele, até o momento, a gripe está "muito contida" na população, nesta temporada.

"Queremos apenas que os médicos saibam que há uma cepa do vírus da gripe em circulação que é resistente (ao Tamiflu), mas que há outras opções de tratamentos e que é preciso se vacinar", completou Tom Skinner.

js/tt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG