Ex-ditador Manuel Noriega volta ao Panamá para cumprir pena

Extraditado de Paris neste domingo, Noriega volta ao seu país para cumprir sentença de 20 anos por assassinatos de opositores na década de 1980

iG São Paulo |

O ex-ditador panamenho Manuel Antonio Noriega retornou neste domingo ao Panamá, mais de 20 anos após sua captura pelo Exército dos Estados Unidos durante a invasão militar de 1989. Noriega chegou extraditado da França, com uma escala em Madri, em um voo da Iberia que aterrissou no aeroporto de Tocumen, a 27 quilômetros ao leste da capital, por volta das 18h07.

AP
Mulher durante com cartaz "Noriega Assassino" na última sexta-feira (9), no Panamá

Em novembro, tribunal francês decretou que Noriega poderia ser extraditado para o Panamá, onde foi condenado a 20 anos de prisão. Deposto na invasão americana de 1989 e preso durante 22 anos nos Estados Unidos e na França por tráfico de drogas, o ex-ditador cumprirá três penas pela morte de opositores.

O ex-ditador, que está com 77 anos, foi derrotado por uma invasão dos Estados Unidos em 1989 e já tem passado as últimas décadas atrás das grades, primeiro na Flórida e depois na França, logo após ser processado por narcotráfico e lavagem de dinheiro quando estava no poder.

Reuters
Noriega
Um general do Panamá e um médico fizeram parte da equipe que acompanhou Noriega no voo que o levou de volta ao país. É pouco provável que a volta de Noriega tenha um impacto significativo no Panamá, que vem vivendo um "boom" econômico nos últimos anos.

Boa parte das atenções sobre Noriega estará centrada sobre se revelará seus segredos mais obscuros da ditadura, incluindo as mortes não contabilizadas e desaparecimento de cerca de 100 pessoas entre 1968 a 1989. Para comprovar que estava preparado para essa viagem, no sábado fez exames médicos na prisão de La Santé de Paris, na qual esteve desde que chegou à França em 27 de abril de 2010 procedente dos Estados Unidos, de onde também foi extraditado.

Extradição

Justamente os EUA tiveram de dar sinal verde à justiça francesa para que agora Noriega pudesse voltar a ser extraditado a seu país. Noriega foi condenado à revelia no Panamá a três penas de 20 anos e, embora tenha aceitado sua entrega, tem intenção de "demonstrar sua inocência", segundo explicou em pronunciamento perante o Tribunal de Apelação de Paris no dia 23 de novembro.

Noriega, que se considera "prisioneiro de guerra" após estar preso nos EUA durante 21 anos, cumpriu em Paris uma pena de sete anos de prisão por lavagem de dinheiro do narcotráfico cometido na França entre dezembro de 1988 e sua deposição pelas tropas americanas em dezembro de 1989.

*com Reuters e EFE

    Leia tudo sobre: noriegapanamáfrançaeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG