Nobel da Paz iraniana pede repetição de eleições em seu país

Bruxelas, 23 jun (EFE).- A iraniana vencedora do prêmio Nobel da Paz em 2003, Shirin Ebadi, pediu hoje que os resultados das eleições presidenciais realizadas em seu país no último dia 12 sejam anulados e que um novo pleito seja convocado, depois de o Conselho de Guardiães ter reconhecido, ontem, irregularidades na votação.

EFE |

O poderoso organismo, que deve validar os resultados, confirmou que, em pelo menos 50 cidades, houve mais votos que cidadãos registrados para votar, embora tenha considerado que isto não significa uma grande mudança nos resultados finais.

"O povo e outros candidatos continuam dizendo que a fraude é ainda maior do que o Conselho diz ser, por isso não aceitaram suas declarações e saíram à rua", afirmou Shirin, prêmio Nobel da paz em 2003 e defensora dos direitos humanos, durante uma entrevista coletiva em Bruxelas, convocada pela Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH).

Por isso, a iraniana pediu a repetição das eleições sob a supervisão de observadores internacionais para, deste modo, garantir a "restauração da paz" no país.

Além disso, pediu ao Governo a libertação "incondicional" dos presos durante os últimos dez dias, o fim da violência contra os manifestantes e a compensação às vítimas da repressão e seus familiares.

Sharin também exaltou a atitude do povo iraniano, já que, segundo explicou, são os próprios manifestantes que mostraram para o resto do mundo o que ocorreu nas ruas do país, apesar do bloqueio à Internet e à telefonia celular.

Neste sentido, afirmou que as mulheres iranianas tiveram um papel "proeminente" no dia 12 de junho, já que elas eram as "mais decepcionadas" antes das eleições, por causa da forte discriminação que sofrem.

"O povo quer uma mudança e ficou chocado quando os resultados divulgados não foram os esperados", disse Shirin. EFE aal/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG