Berlim, 13 jul (EFE).- A vencedora do prêmio Nobel da Paz em 2003, a iraniana Shirin Ebadi, pediu hoje aos países europeus que mantenham negociações diretas com o Governo de Teerã e que contemplem, inclusive, a possibilidade de sanções políticas.

"Assim poderão demonstrar que não só defendem os direitos humanos com palavras, mas também com feitos", afirmou Shirin hoje, em uma entrevista à rede de televisão alemã "Deutsche Welle", em Bonn, oeste do país.

De acordo com a iraniana, se os dirigentes de seu país não modificarem seus procedimentos, os embaixadores iranianos devem ser retirados da Europa e as relações internacionais devem continuar somente em nível consular.

Shirin rejeita ameaçar o Executivo iraniano com sanções econômicas, pois, em sua opinião, "somente a população sofre com um embargo econômico".

No entanto, propõe sanções políticas para debilitar o poder e, principalmente, que a Europa acabe com qualquer tipo de envio de armamentos ao Irã.

Como forma de apoio aos protestos ocorridos desde as eleições presidenciais do dia 12 de junho, Shirin propõe que as Nações Unidas enviem uma delegação para estudar a situação.

Além disso, critica as prisões dos manifestantes que "não têm nenhum contato com advogados, nem parentes e vivem bastante isolados", disse Shirin.

A Nobel da Paz disse ainda que a quantidade de "vítimas reais" das manifestações são muito maiores que a admitida pelo Governo do Irã e que os gráficos são uma amostra disso. EFE pb/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.