Nobel da Paz diz que julgamento é teste para Justiça de Mianmar

Bangcoc, 4 ago (EFE).- A líder opositora birmanesa e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, declarou perante o tribunal que a julga por violar os termos da prisão domiciliar que seu processo é um teste para o sistema judiciário de Mianmar.

EFE |

Fontes da dissidência revelaram hoje que, durante a audiência em que a defesa apresentou os argumentos finais, Suu Kyi afirmou que o veredicto "será um pronunciamento sobre o status legal, judicial e constitucional" de Mianmar.

"Ao longo de todo o julgamento, meus advogados foram escrupulosos em seus esforços para buscar que eu tenha um processo justo", contou durante a sessão de 24 de julho passado.

Se considerada culpada, Suu Kyi, que viveu reclusa durante quase 14 dos últimos 20 anos, pode ser condenada a cinco anos de prisão.

Segundo a Promotoria, a Nobel da Paz descumpriu as condições de confinamento por deixar o americano John Michael Yettaw passar duas noites em sua casa.

A Nobel da Paz, no entanto, insiste que isso foi contra sua vontade e que jamais convidou o americano a ficar.

Yettaw, que está sendo julgado em Mianmar pelo incidente, foi hospitalizado de novo ontem à noite por fortes convulsões sofridas na prisão.

O americano, de 54 anos e que sofre de epilepsia e outros problemas de saúde, está se recuperando do ataque e seu estado não é grave, como informaram hoje diretores do hospital birmanês.

Yettaw foi detido no início de maio após ter passado as duas noites na casa de Suu Kyi, aonde chegou nadando por um lago. EFE tai/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG