Bangcoc, 25 mai (EFE).- A líder opositora em Mianmar e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, vai depor amanhã no julgamento realizado contra ela em uma penitenciária por ter violado a prisão domiciliar que cumpria desde 2003, informaram hoje seus advogados.

O advogado Nyan Win disse que sua cliente será chamada a testemunhar na terça-feira, mesmo dia que as autoridades autorizaram a presença de jornalistas na sala do tribunal especial presidida por juízes militares, segundo a rádio local "Mizzima".

Nyan Win disse que também será apresentada à corte a lista das testemunhas de defesa, com o que tentará demonstrar que Suu Kyi não violou os termos da prisão domiciliar quando permitiu que uma pessoa passasse a noite em sua casa, em Yangun.

Segundo o advogado, a segurança da casa era responsabilidade do próprio Estado.

Suu Kyi, de 63 anos, se declarou inocente das acusações, que podem render a ela penas de entre três e cinco anos de prisão. EFE grc/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.