No Uruguai, Lugo pede agenda social para o Mercosul

Jorge Figueroa. Montevidéu, 27 mar (EFE).- O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, pediu hoje uma agenda social para o Mercosul, ao participar do lançamento do projeto Integração Fronteiriça do bloco regional que é formado, além de seu país, por Brasil, Uruguai e Argentina.

EFE |

"O Mercosul tem uma dívida social ampla e postergada e que abrange todos seus países-membros", afirmou Lugo durante coletiva de imprensa em Montevidéu.

"Em todos os países há meninos de rua, há sem-teto, devemos fazer uma reforma agrária e, além disso, há carências em temas de educação e saúde", destacou o presidente do Paraguai.

Lugo enfatizou que "esses são alguns dos assuntos que faltam ser discutidos no bloco" e, por isso, pediu "uma agenda social".

"Falta a nós cooperação em programas comuns e a busca de soluções conjuntas a necessidades similares de nossos povos", acrescentou o presidente do Paraguai.

Segundo Lugo, o Mercosul "nasceu como um processo de integração política e econômica, mas falta cara social".

O Paraguai exerce este semestre a presidencial temporária do bloco, que acaba de celebrar seu 18º aniversário, e suas ações, segundo Lugo, estarão centradas em dar uma "nova cara ao Mercosul".

"Queremos levar este processo de integração às pessoas, aos povos, com especial atenção a temas sociais, culturais, esportivos e, muito especialmente, aos jovens", destacou.

Para o Paraguai, de acordo com Lugo, "o Mercosul é o primeiro instrumento de desenvolvimento, mas tem muitos problemas e grandes descumprimentos".

O chefe de Estado paraguaio disse que o bloco regional "tem muitas pendências jurídicas" e "desequilíbrios" entre as economias grandes de Brasil e Argentina e as pequenas de Uruguai e Paraguai.

"Queremos um tratamento justo e respeitoso a nossos direitos", assinalou, em possível referência ao conflito de seu país com o Brasil sobre a questão da divisa da energia elétrica da represa binacional de Itaipu.

Lugo diz esperar de forma "encantada" a entrada da Venezuela no bloco regional, atrasada pela falta de apoio nos Parlamentos de seu país e do Brasil.

"Se deve deixar claro que quem pede a entrada é a Venezuela, e não o presidente Hugo Chávez", enfatizou.

O chefe de Estado paraguaio chegou a Montevidéu para participar da apresentação do projeto "Integração Fronteiriça no Mercosul".

O projeto procura definir linhas de ação para o desenho e gestão de políticas públicas de integração além da fronteira, identificando os problemas dessas zonas.

Lugo participou também da apresentação do cartaz comemorativo do 18º aniversário do Mercosul, que em breve será divulgado nas quase 200 cidades de Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, e nos países associados do bloco, Bolívia, Chile e Peru.

A cerimônia terminou na sede da secretaria administrativa do Mercosul e, após o ato, o presidente do Paraguai assistiu a um espetáculo de música popular dos países do bloco. EFE jf/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG