O ministro francês das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, que chegou nesta quinta-feira ao Rio de Janeiro para expressar sua solidariedade às famílias das vítimas do voo da Air France, afirmou que será preciso tempo para saber quais foram as causas da catástrofe.

"Por hora, não avançamos muito. Será preciso tempo, sem dúvida, para saber mais, a profundidade é imensa", indicou Kouchner à imprensa, referindo-se aos cerca de 4.000 metros de profundidade da área do oceano Atlântico onde foram encontrados destroços do Airbus A330 que desapareceu na segunda-feira.

O voo AF447, com 228 pessoas a bordo, sumiu dos radares a cerca de 1.000 km da costa brasileira na madrugada de domingo para segunda.

Perguntado sobre a possibilidade de um atentado, o ministro afirmou que os especialistas não haviam encontrado "nenhum indício" que respaldasse esta hipótese. "Mas nós não a descartamos", acrescentou.

Kouchner participou de uma pequena cerimônia no liceu francês do Rio, onde se reuniu com a comunidade francesa e reafirmou seu apoio aos familiares das vítimas.

"Estamos procurando as causas, porque isso interesa às pessoas de todo o planeta, para quem viaja ou não", afirmou Kouchner, destacando que "esta rota aérea é usada todos os dias. Eu mesmo vou à noite pegar o voo AF 447" para Paris.

cdo/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.