No Peru, restos mortais de vítimas de massacre são devolvidos às famílias

Lima, 12 jul (EFE).- Os restos mortais das dez pessoas executadas no massacre de La Cantuta, em 1992, um dos casos pelo qual o ex-presidente peruano Alberto Fujimori é processado, serão entregues na próxima quarta a seus parentes, confirmou hoje a representante das famílias.

EFE |

Os restos serão velados na sexta, data que coincide com o 16º aniversário do massacre, na Universidade de La Cantuta, e no dia seguinte serão sepultados em um cemitério de Lima, disse Gisela Ortiz, representante dos familiares das vítimas, ao canal "N".

Gisela é irmã de Enrique Ortiz, um dos nove estudantes que foram seqüestrados e assassinados junto a um professor pelo grupo militar Colina na madrugada do dia 18 de julho de 1992.

O massacre de La Cantuta foi um dos crimes mais marcantes do Governo de Alberto Fujimori (1990-2000). O ex-presidente está sendo julgado desde dezembro pelos massacres de La Cantuta e Barrios Altos (1991), assim como pelo seqüestro de um jornalista e de um empresário após o golpe de Estado de 1992.

A Promotoria acusou Fujimori de planejar, organizar e dirigir os referidos massacres e pediu 30 anos de prisão para o ex-presidente.

EFE watt/ab/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG