Premiê italiano faz apelo por sobrevivência política um dia antes de parlamentares votarem moção de confiança ao governo

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, fez um apelo por sua sobrevivência política nesta quinta-feira, dizendo ao Parlamento que seu governo é o único capaz de guiar o país durante a crise econômica. Na sexta-feira, os parlamentares votarão uma moção de confiança ao governo do premiê, que terá de renunciar em caso de derrota.

Berlusconi é visto após discurso no Parlamento italiano, em Roma
AFP
Berlusconi é visto após discurso no Parlamento italiano, em Roma

“No plano político, não há alternativa a este governo. A oposição exerce um direito legítimo de crítica, mas hoje está dividida”, afirmou Berlusconi em um discurso de 15 minutos. “Este governo é o único democraticamente habilitado a defender o interesse nacional, sobretudo agora, com a urgência imposta pela crise.”

“O governo pede um voto de confiança porque está profundamente ciente dos riscos que o país enfrenta por causa dos prazos impostos pelo mercado, que não é compatível com certos rituais políticos”, acrescentou.

A moção de confiança no Parlamento acontece após uma importante derrota para Berlusconi na terça-feira, quando a Câmara rejeitou a revisão do orçamento do exercício fiscal de 2010 . A votação de sexta-feira busca mostrar que o governo ainda tem a maioria do Parlamento.

Na Itália, se o premiê, que é o chefe do governo, não tem mais a maioria no Parlamento, ele deve informar o presidente, que é o chefe de Estado, para que este convoque novas eleições ou nomeie outro político para o cargo.

O líder da Liga Norte, Umberto Bossi, com quem Berlusconi manteve atritos recentemente, declarou que dará um voto de confiança ao governo e elogiou o primeiro-ministro por seu pronunciamento "convincente" no Parlamento.

A maioria reunida ao redor do PDL, partido de Berlusconi, e da Liga do Norte de Umberto Bossi está dividida a respeito de vários temas, como o plano de austeridade e a eleição do futuro presidente do Banco da Itália.

Além disso, a coalizão de governo também sofre com a queda da popularidade de Berlusconi, que está no menor índice histórico (24% em setembro). A liderança do premiê foi enfraquecida pela crise econômica e por seu suposto envolvimento em escândalos sexuais.

No caso de maior repercussão, Berlusconi é acusado de ter pago para fazer sexo com a marroquina Karima El Mahroug, conhecida como Ruby , quando ela ainda era menor de idade.

Com AP, AFP e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.