Washington, 25 mai (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, rendeu hoje homenagem aos militares americanos mortos em combate, em um ato no cemitério de Arlington, na Virgínia, onde se referiu a eles como o melhor do país.

Obama, que tomou café-da-manhã hoje com parentes de militares mortos, participou de um ato diante do monumento do soldado desconhecido em Arlington por ocasião do Memorial Day, quando os EUA rendem tributo às Forças Armadas.

Mais de 300 mil combatentes americanos de toda a história do país estão enterrados em Arlington, que tem uma seção, a 60, apenas para as vítimas das guerras de Iraque e Afeganistão.

"As feridas de guerra ainda estão frescas na seção 60", disse Obama, que chamou a atenção sobre as fotos, ursos de pelúcia, revistas e até garrafas de cerveja e cigarros que os parentes e amigos deixaram junto aos túmulos.

No cemitério, estão também os corpos de ex-presidentes como John F.Kennedy, juízes do Supremo Tribunal e outras personalidades, como contou hoje Obama.

"Aqui descansam presidentes e soldados junto ao solo, juízes do Supremo Tribunal e escravos, generais conhecidos pela história e soldados que apenas Deus conhece", afirmou.

O presidente lembrou que este Memorial Day encontra o país com duas guerras abertas, em Iraque e Afeganistão, e assinalou que a história dos enterrados em Arlington é a do próprio EUA.

"Logo atrás dessa ampla colina atrás de mim descansam aqueles que perdemos na Segunda Guerra Mundial (...) e em uma tranquila esquina ao norte milhares dos que perdemos no Vietnã", disse.

"Este cemitério é uma prova do preço que nossa nação pagou pela liberdade", destacou.

O presidente afirmou, depois de depositar uma coroa de flores sobre o túmulo do soldado desconhecido, que a disposição dos militares em entregar a vida por pessoas que nunca conheceram é o que os torna "o melhor dos EUA".

Obama insistiu, em linha com o assinalado na sexta-feira, que só enviará americanos à guerra quando for absolutamente necessário e prometeu que equipará os militares com o material para realizar com sucesso as missões.

"Enquanto for presidente, enviarei nossas tropas à guerra quando for absolutamente necessário e darei equipamento e apoio aos que necessitam para fazer seu trabalho", destacou.

Os atos do Memorial Day incluem desde coloridos desfiles até sombrias cerimônias em todo o país.

Entre os eventos mais chamativos figura o desfile de milhares de veteranos da Guerra do Vietnã em motos Harley Davidson pelas ruas de Washington, que aconteceu ontem e marcou o início das atividades do Memorial Day.

O encontro, conhecido como Rolling Thunder, inclui a visita dos participantes ao monumento aos mortos no Vietnã, onde os motoristas rendem tributo a seus companheiros falecidos.

O Departamento de Veteranos de Guerra calcula que cerca de um milhão de americanos morreram durante o serviço militar no país.

O Memorial Day representa, além disso, o início da temporada de verão nos EUA e é um período festivo em que acontecem os tradicionais churrascos nos jardins das casas.

A celebração desta segunda-feira coincide com um inesperado teste nuclear feito pela Coreia do Norte e o aparente lançamento de vários mísseis de curto alcance, que receberam uma dura condenação de Washington.

"Condeno categoricamente essa ação temerária", disse Obama na Casa Branca pouco antes de ir ao cemitério de Arlington. EFE tb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.